Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Falta 1 ponto #RumoAo37

por João Silva, em 13.05.19

O Benfica venceu o Rio Ave por 3-2 e regressou à liderança do campeonato português, numa altura em que falta disputar apenas uma jornada para terminar a prova.

O conjunto de Bruno Lage chega à última jornada na liderança, com 84 pontos, mais dois do que o FC Porto, segundo classificado.

Isto significa que na ronda derradeira, o clube da Luz precisa apenas de um ponto para chegar ao título, já que mesmo que o FC Porto consiga vencer na receção ao Sporting, os dois clubes ficam com 85 pontos, mas o Benfica segura a vantagem no confronto direto.

Em Vila do Conde, Rafa inaugurou o marcador com um golo madrugador. Aos três minutos, a águia já estava em vantagem e, em cima do intervalo, foi João Félix a dilatar a vantagem da águia, num lance em que os vila-condenses pediam penálti na área oposta.

No arranque da segunda metade, Tarantini ainda reduziu para 2-1, mas Pizzi, pouco depois, fez o 3-1 para os encarnados com um remate colocado que bateu no poste. Já nos últimos instantes da partida, Ronan fixou o resultado final em 3-2, com o Benfica a sofrer nos últimos minutos para segurar a vantagem.

#RumoAo37

Autoria e outros dados (tags, etc)


Liga NOS: SL Benfica 2-2 Belenenses SAD

por João Silva, em 12.03.19

O Benfica recuperou a liderança da Liga, mas perdeu a vantagem de dois pontos que tinha sobre o FC Porto, ao desperdiçar uma vantagem de dois golos na Luz diante do Belenenses.

A vencer por 2-0, a equipa de Bruno Lage consentiu dois golos caricatos, separados por apenas três minutos, e deixou escapar uma vitória que parecia certa. Jonas, apesar do regresso discreto, desbloqueou o marcador já na segunda parte, Samaris aumentou a vantagem logo a seguir, mas depois o Benfica deitou quase tudo a perder. Um jogo intenso, com quatro golos concentrados num curto período de quinze minutos, a ditar a interrupção da série de nove vitórias de Bruno Lage na Liga.

Dois erros crassos. O primeiro foi, acima de tudo, caricato. Um livre de Diogo Viana que tentou colocar a bola na área, ninguém se fez ao lance, nem Vlachodimos que a viu entrar, impávido, na sua baliza. O Benfica ainda estava a recuperar do choque quando Rúben Dias, com a bola controlada, ofereceu-a a Kikas que não se fez rogado e voltou a bater o guarda-redes alemão, com classe, com um remate em arco. Tal como na primeira volta, o Belenenses voltava a marcar dois golos ao Benfica e, num ápice, o jogo voltava a ficar empatado e frenético.

O Benfica voltou a puxar pela adrenalina e voltou à carga, num jogo que estava agora aberto, com um Belenenses com a confiança em alta pelos dois golos marcados. Silas prescindiu de Kikas para lançar Vélez, enquanto Lage refrescava o ataque com as entradas de Zivkovic e Jota. O Benfica fez o que lhe competia e carregou com tudo nos últimos minutos, mas o Belenenses também cerrou os dentes determinado a não desperdiçar o que tinha conquistado.

O empate não se desfez até final e, feitas as contas, o Benfica regressa ao topo da classificação, mas agora com os mesmos pontos do FC Porto.

No final do desafio, André Almeida, que envergou a braçadeira de capitão, foi eleito o Man of the Match e lamentou que, face às oportunidades que construiu, o Benfica não tivesse conquistado os três pontos.

GoalPoint-Benfica-Belenenses-LIGA-NOS-201819-MVP.j

“O Benfica fez um bom jogo! O Belenenses teve uma proposta de jogo bastante defensiva, foi uma equipa muito organizada, com bons jogadores e defendeu-se com as armas que tem. Na primeira parte tivemos o domínio total do jogo e criámos algumas oportunidades, o Belenenses também soube defender bem e fomos para o intervalo com um empate. Na segunda parte entrámos muito, muito fortes, fizemos dois golos e, quando estávamos por cima, mais perto de fazer o 3-0, e contra tudo o que era expectável, em dois minutos eles fizeram dois golos e empataram o jogo. Depois, criámos ainda mais duas ou três oportunidades e poderíamos ter saído daqui claramente com a vitória. A haver um vencedor teria de ser o Benfica”, analisou André Almeida.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Antevisão da partida com o Belenenses SAD

por João Silva, em 11.03.19

Benfica_Belenenses.jpg

O Benfica recebe hoje o Belenenses no jogo de encerramento da 25.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, na expectativa de reassumir a liderança da prova, a qual foi provisóriamente ocupada pelo FC Porto, que venceu o Feirense neste Domingo.

 

O clube da Luz chega a esta jornada, depois da vitória no Dragão, frente ao FC Porto, e numa série de nove jogos consecutivos a vencer na Liga. Série que coincide com a troca de Rui Vitória por Bruno Lage. Já o Belenenses SAD, por seu lado, que vem de duas vitórias consecutivas e de dois jogos sem sofrer golos. Mais: vem de uma goleada ao Feirense, por 4-0, e de um triunfo surpreendente em Braga.

 

Na antevisão do jogo, Bruno Lage confirmou que Seferovic, lesionado, não irá a jogo, mas não confirmou a presença de Jonas: “A gestão dele é igual à dos outros jogadores. Se tem de jogar, joga. Se tem de ficar no banco e entrar, fica. Se tem de ficar de fora dos convocados, fica também”, explicou.

Relembrou que o adversário do jogo de hoje venceu na 1.ª volta, e isso, por si só, revela a sua qualidade. "É uma equipa com boa organização e com uma vontade enorme de jogar bem e ter a bola. É uma equipa muito competente, com bons jogadores, bom treinador. Vai ser um desafio muito interessante e para vencermos temos de estar ao nosso melhor nível".

 

Já Silas garantiu que vai levar um Belenenses “atrevido”. “Não quero travar o Benfica, mas pretendo que eles não nos travem. Vamos para ganhar e não apenas para não perder”, disse.

 

Bruno Lage convocou 18 jogadores para a receção ao Belenenses SAD, referente à 25.ª jornada da Liga NOS.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Mile Svilar e Odysseas;

Defesas: Yuri Ribeiro, André Almeida, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo;

Médios: Zivkovic, Krovinovic, Florentino, Samaris, Pizzi, Gedson Fernandes, Rafa e Cervi;

Avançados: Jonas, João Félix e Jota.

 

O jogo entre Benfica e Belenenses SAD, está marcado para esta segunda-feira (20h15), no Estádio da Luz.

#Reconquista

Autoria e outros dados (tags, etc)


Liga NOS: FC Porto 1-2 SL Benfica

por João Silva, em 03.03.19

A equipa de Bruno Lage não se atemorizou na deslocação ao dragão e fintou o medo cénico que atormentou tantos Benficas de outrora.

Reviravolta no marcador e ultrapassagem na tabela classificativa. Um 2-1 em casa do campeão nacional, que chegava ao duelo com um ponto de vantagem e sai dele dois pontos atrás. Para Bruno Lage, era difícil aspirar a melhor.

Porto_Benfica.jpg

Sérgio Conceição arriscou na véspera adivinhar o onze do Benfica e acertou em cheio. Para lá disso, o técnico portista fez regressar Marega, recuperado de lesão, e surpreendeu ao lançar de início Adrián no lugar de Tiquinho Soares e Manafá, quando se esperava o regresso de Éder Militão.

Lage apresentou a equipa esperada, com seis portugueses – metade deles made in Seixal  –, e surgiu no Dragão disposto a repartir o domínio com o FC Porto.

Entraram forte os dragões: pressão alta, privilégio do flanco esquerdo para atacar, com Brahimi a combinar bem com Telles ou a tentar resolver sozinho. Foi assim que sacou a Rúben Dias o único amarelo da primeira parte e conquistou o livre à entrada da área que valeu o golo a Adrián. Depois de bater contra a barreira, o espanhol aproveitou a recarga para rematar cruzado para surpreender Vlachodimos.

Se há coisa que torna distinto este Benfica é a segurança e velocidade com que troca a bola ao primeiro toque; ou com que varia o jogo de flanco em dois ou três toques.

A perder, o Benfica estendeu-se mais no relvado. Pressionou e colheu os frutos de um aparentemente inexplicável descontrolo emocional do FC Porto. Foram dez minutos de domínio claro imposto pelo conjunto do clube da Luz, com o empate a surgir aos 26’.

Porto_Benfica_João Félix.jpg

Se é verdade que Adrián falhou a receção, Manafá falhou a disputa de bola e Pepe falhou o corte, há sobretudo muito mérito dos jogadores do Benfica no golo. A recuperação de bola de Gabriel, o cruzamento de Seferovic e a classe com que João Félix domina e não treme na cara de um guarda-redes histórico, com quase o dobro da sua idade.

As melhores faces da equipa de Sérgio Conceição eram Brahimi e Óliver. Do lado do Benfica, Pizzi mostrava-se decisivo: um dínamo nas transições rápidas. Numa delas, aos 45’, colocou Seferovic na cara de Casillas, que defendeu a punhos.

Ameaçava o Benfica ainda antes do intervalo o que haveria de consumar logo a abrir a segunda parte: combinação à entrada da área entre Pizzi e Rafa, que disparou rasteiro e colocado para a reviravolta no marcador.

Porto_Benfica_Rafa.jpg

Aos 52 minutos estava dada a cambalhota no marcador, mas havia quase meio clássico por jogar. E, aí, houve mais FC Porto. Em particular desde a expulsão de Gabriel, por atirar-se a Otávio depois de o derrubar.

Com os dragões atrás do prejuízo, Conceição tirou Óliver para meter Danilo próximo de Felipe e Pepe e fez subir os laterais como se fossem alas.

Conceição arriscou, Lage, com menos um, ajustou.

Porto_Benfica_Bruno Lage.jpg

O terinador do Benfica fez o que lhe competia. O FC Porto foi farejando o golo do empate, sem nunca lhe poder tocar.

A dez jornadas do fim do campeonato, o Benfica ultrapassa o rival e campeão nacional, com mais dois pontos e vantagem no confronto direto.

Faltam 30 pontos, é certo, mas este Benfica de Lage sai reforçado do clássico ao ter ultrapassado a maior prova de fogo que teve até ao momento. Em nove jornadas com Bruno Lage no comando técnico, o Benfica recuperou nove pontos, a ponto de destronar da liderança um FC Porto que comandava desde a 8.ª jornada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Vitória tranquila do Benfica na Vila das Aves

por João Silva, em 19.02.19

Após as mudanças feitas na partida frente ao Galatasaray, na Liga Europa, Bruno Lage recuperou o onze que tem sido a sua primeira escolha, apostando exactamente nos mesmos jogadores que entraram de início na recepção ao Nacional. E não se arrependeu, porque o Benfica teve o jogo controlado desde o início e precisou de menos de três minutos para se colocar em vantagem no marcador.

O Desp. Aves vinha numa trajectória ascendente, em recuperação classificativa, traduzida pelas três vitórias obtidas nos quatro jogos disputados desde que Augusto Inácio assumiu o comando técnico da equipa.

Mas o Benfica entrou muito forte na partida, a asfixiar o Desp. Aves, e quaisquer aspirações que a equipa de Augusto Inácio tivesse caíram por terra logo aos três minutos. Na primeira situação de real perigo que criaram, a equipa de Bruno Lage colocou-se em vantagem no marcador. Com um grande passe, Samaris fez a bola sobrevoar a defesa do Desp. Aves e encontrar Seferovic. O suíço recebeu de peito e, com um toque subtil, desviou a bola do guarda-redes. Foi o 14.º golo de Seferovic no campeonato, igualando Bas Dost e Dyego Sousa no topo da tabela dos melhores marcadores.

Seferovic_aves_benfica.jpg

O Dep. Aves ainda esboçou uma reacção, mas o Benfica consegue ampliar a vantagem numa grande jogada que começou na esquerda, Grimaldo passou para João Félix, que com um toque deixou a bola para Rafa — este tirou Jorge Fellipe do caminho e disparou para o segundo golo (36’).

rafa_aves_benfica.jpg

A equipa de Augusto Inácio despediu-se da primeira parte com duas ameaças à baliza de Vlachodimos, mas nem Jorge Fellipe, de livre (39’), nem Rodrigo, com um remate potente de muito longe (41’) conseguiram reduzir a diferença.

E o início do segundo tempo viria contrariar a reacção avense, com o terceiro golo do Benfica a ser assinado por Ferro: na sequência de um canto, Beunardeau saiu muito mal da baliza e a bola chegou ao jovem defesa, que a colocou por cima de toda a gente para mais um golo. Logo a seguir, Pizzi surgiu pela direita e teve nos pés o 0-4, mas o remate em jeito saiu alguns centímetros ao lado do alvo.

Ferro_aves-benfica-22-jornada-liga-nos.jpg

O único contratempo ao plano do Benfica surgiu aos 64’, com a expulsão de Ferro. Derley, rápido a fugir à defesa benfiquista, foi agarrado no ombro e derrubado. Hugo Miguel assinalou livre junto à área do Benfica e mostrou o cartão vermelho directo ao central. Foi uma injecção de confiança para o Desp. Aves, que conseguiu levar perigo à baliza de Vlachodimos num par de situações. Rodrigo, no livre a castigar a falta de Ferro, viu a bola desviar na barreira e depois ser defendida para canto pelo guarda-redes. E, aos 69’, Mama Baldé apareceu a cabecear, na sequência de um canto, para Vlachodimos agarrar.

Nesta partida que encerrou a 22.ª jornada da I Liga, o Benfica mantém a perseguição ao líder FC Porto (um ponto de desvantagem) e afastou-se do Sp. Braga (quatro pontos de avanço). O bom período que a equipa da Luz atravessa conheceu mais um capítulo — foi a décima vitória em 11 jogos sob o comando de Bruno Lage. Segue-se a Liga Europa a meio da semana.

#Reconquista

Autoria e outros dados (tags, etc)


Antevisão Desp. Aves-SLBenfica

por João Silva, em 18.02.19

MOMENTO:

Desp. Aves: José Mota saiu e chegou Inácio. As melhorias na equipa avense não tardaram em fazer-se notar: três vitórias em quatro encontros, duas delas na casa de Tondela e Marítimo. A única derrota aconteceu em Braga, o que espelha um pouco do crescimento do detentor da Taça de Portugal. No entanto, os resultados positivos não revelaram um salto por aí além na tabela: o Desp. Aves está em posição descida antes da receção ao Benfica. É, por isso, importante amealhar pontos para sair da zona vermelha.

Benfica: a águia segue num voo bem alto desde que Bruno Lage chegou. Desde a saída de Rui Vitória, os vice-campeões nacionais venceram nove dos dez jogos realizados. A única derrota foi sofrida ante o FC Porto nas meias-finais da Taça da Liga (3-1). Um mero percalço no percurso do Benfica de Bruno Lage que em duas jornadas encurtou para um a distância para o líder FC Porto. Contudo, os dragões já venceram o Vitória de Setúbal nesta ronda. Será, portanto, preciso repetir o que o rival fez para continuar bem dentro da luta pelo título.

AUSÊNCIAS:

Desp. Aves: Falcão lesionado; André Ferreira não pode ser opção por estar cedido pelo Benfica.

Benfica: Ebuehi, Conti, Fejsa, Jardel e Salvio, lesionados.

DISCURSO DIRETO:

Augusto Inácio: «Cabe-nos atrapalhar o jogo do Benfica, tentar sermos rigorosos como temos sido, tentar o ataque quando houver possibilidade e tentar surpreender. Cabe ao Benfica assumir as rédeas do jogo e tentar marcar o mais cedo possível. A nós cabe-nos defender, mas nunca tirando os olhos da baliza do Benfica, senão quem defende, defende, defende, acaba por perder o jogo, nem que seja no último minuto.»

Bruno Lage: «A dor de cabeça vai no sentido de percebermos a dinâmica do Desp. Aves e definirmos a nossa estratégia. O Desp. Aves é uma equipa que joga com cinco defesas, mas é ofensiva, ou seja, joga em 5-4-1, com os laterais em profundidade e em largura, que joga muito bem a construir, com dois médios que gostam de jogar e que tem três homens na frente que são perigosos.»

HISTÓRICO DE CONFRONTOS:

Este será o jogo número dez para a Liga entre os dois conjuntos. A história mostra uma superioridade quase total do Benfica que nunca perdeu contra o Desportivo das Aves: venceu em oito ocasiões e empatou apenas por uma vez. A igualdade (a quatro golos) aconteceu em maio de 2001, precisamente na Vila das Aves.

Fonte: https://maisfutebol.iol.pt

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Simbolo
Fundador
115-anos
Reconquista-37

OBENFICA

MISTICA

twiiter

# Classificação 2019/20








Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

CONTACTO silva.joaodiogo@hotmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog