Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Liga NOS: FC Porto 1-2 SL Benfica

por João Silva, em 03.03.19

A equipa de Bruno Lage não se atemorizou na deslocação ao dragão e fintou o medo cénico que atormentou tantos Benficas de outrora.

Reviravolta no marcador e ultrapassagem na tabela classificativa. Um 2-1 em casa do campeão nacional, que chegava ao duelo com um ponto de vantagem e sai dele dois pontos atrás. Para Bruno Lage, era difícil aspirar a melhor.

Porto_Benfica.jpg

Sérgio Conceição arriscou na véspera adivinhar o onze do Benfica e acertou em cheio. Para lá disso, o técnico portista fez regressar Marega, recuperado de lesão, e surpreendeu ao lançar de início Adrián no lugar de Tiquinho Soares e Manafá, quando se esperava o regresso de Éder Militão.

Lage apresentou a equipa esperada, com seis portugueses – metade deles made in Seixal  –, e surgiu no Dragão disposto a repartir o domínio com o FC Porto.

Entraram forte os dragões: pressão alta, privilégio do flanco esquerdo para atacar, com Brahimi a combinar bem com Telles ou a tentar resolver sozinho. Foi assim que sacou a Rúben Dias o único amarelo da primeira parte e conquistou o livre à entrada da área que valeu o golo a Adrián. Depois de bater contra a barreira, o espanhol aproveitou a recarga para rematar cruzado para surpreender Vlachodimos.

Se há coisa que torna distinto este Benfica é a segurança e velocidade com que troca a bola ao primeiro toque; ou com que varia o jogo de flanco em dois ou três toques.

A perder, o Benfica estendeu-se mais no relvado. Pressionou e colheu os frutos de um aparentemente inexplicável descontrolo emocional do FC Porto. Foram dez minutos de domínio claro imposto pelo conjunto do clube da Luz, com o empate a surgir aos 26’.

Porto_Benfica_João Félix.jpg

Se é verdade que Adrián falhou a receção, Manafá falhou a disputa de bola e Pepe falhou o corte, há sobretudo muito mérito dos jogadores do Benfica no golo. A recuperação de bola de Gabriel, o cruzamento de Seferovic e a classe com que João Félix domina e não treme na cara de um guarda-redes histórico, com quase o dobro da sua idade.

As melhores faces da equipa de Sérgio Conceição eram Brahimi e Óliver. Do lado do Benfica, Pizzi mostrava-se decisivo: um dínamo nas transições rápidas. Numa delas, aos 45’, colocou Seferovic na cara de Casillas, que defendeu a punhos.

Ameaçava o Benfica ainda antes do intervalo o que haveria de consumar logo a abrir a segunda parte: combinação à entrada da área entre Pizzi e Rafa, que disparou rasteiro e colocado para a reviravolta no marcador.

Porto_Benfica_Rafa.jpg

Aos 52 minutos estava dada a cambalhota no marcador, mas havia quase meio clássico por jogar. E, aí, houve mais FC Porto. Em particular desde a expulsão de Gabriel, por atirar-se a Otávio depois de o derrubar.

Com os dragões atrás do prejuízo, Conceição tirou Óliver para meter Danilo próximo de Felipe e Pepe e fez subir os laterais como se fossem alas.

Conceição arriscou, Lage, com menos um, ajustou.

Porto_Benfica_Bruno Lage.jpg

O terinador do Benfica fez o que lhe competia. O FC Porto foi farejando o golo do empate, sem nunca lhe poder tocar.

A dez jornadas do fim do campeonato, o Benfica ultrapassa o rival e campeão nacional, com mais dois pontos e vantagem no confronto direto.

Faltam 30 pontos, é certo, mas este Benfica de Lage sai reforçado do clássico ao ter ultrapassado a maior prova de fogo que teve até ao momento. Em nove jornadas com Bruno Lage no comando técnico, o Benfica recuperou nove pontos, a ponto de destronar da liderança um FC Porto que comandava desde a 8.ª jornada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Simbolo
Fundador
115-anos
Reconquista-37

OBENFICA

MISTICA

twiiter

# Classificação 2019/20








Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

CONTACTO silva.joaodiogo@hotmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog