Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Benfica viajou até à Pérola do Atlântico, tendo a partida, inicialmente agendada para as 20h30 de domingo, sido adiada devido ao intenso nevoeiro que cobriu o recinto… uma situação que se repete e que, mais uma vez, impossibilitou a visibilidade e consequente decorrer do encontro.

Reinício de jogo com um canto e bem animado… contra-ataque rápido das “águias”, com Carcela, lançado por Pizzi, a permitir a defesa de Rui Silva. Instantes depois nova oportunidade de golo, desta feita por Lisandro, após um livre, de cabeça, a dar o mote.

O Benfica carregava e o golo adivinhava-se! Aos 22’, grande jogada do jovem, Renato Sanches, a cruzar para o coração da área. Jonas surge no local certo, encosta, mas a bola acaba por subir e passar a trave… Incrível!

No minuto seguinte o “Jonas Pistolas” redimiu-se! Enorme cruzamento de Carcela e Jonas, de cabeça, a colocar a bola no fundo das redes. Estava feito o 0-1.

Nacional_Benfica_1.jpg

O jogo estava aberto e o Nacional respondeu! Minuto 28’ e Soares, com um remate poderoso testou Júlio César que respondeu com segurança. Na sequência do lance, canto, e o mesmo jogador surge solto a cabecear perigosamente.

Ao intervalo, o SL Benfica estava em vantagem, mas o resultado pecava por escasso…

A segunda metade começaria “espevitada”… e com o empate! A defesa “encarnada” tardou em limpar a bola de zona perigosa e Soares, o mesmo que ameaçara o empate nos primeiros 45’, rematou para o 1-1.

Os “encarnados” reagiram prontamente! Cinco minutos volvidos, lançamento lateral de Eliseu, Raúl cruza para a área e Jonas, agora de pé direito, a fazer o 1-2 e a recolocar justiça no marcador.

O melhor marcador das “águias” estava inspirado e não tardou em surgir o “hat-trick”. Minuto 62, assistência de Pizzi e Jonas – de cabeça – a dilatar a vantagem para 1-3.

Em cima do apito final, Mitroglou, recém-entrado na partida, com um remate colocado, sentencia o marcador num 1-4 final.

Nacional_Benfica_2.jpg

Vitória justa, da melhor equipa em campo, frente a um adversário que nunca deitou a “toalha ao chão”, num desafio animado e com golos!

Numa jornada em que os principais rivais também somaram três pontos, os “encarnados” mantêm o 2.º lugar da classificação geral, somando 40 pontos (13V,1E,3D), com 45 golos marcados e 11 sofridos.

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze: Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches e Carcela (Gonçalo Guedes, 84’); Raúl (Mitroglou, 72’) e Jonas (Talisca, 86’).

#RumoAo35

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Bicampeão Nacional defronta a formação do CD Nacional, numa partida relativa à 17.ª jornada do Campeonato Nacional.

Depois da vitória dos “encarnados” frente a este mesmo adversário mas para as contas da Taça da Liga, Rui Vitória quer repetir a dose e manter desta forma a senda de triunfos.

Do outro lado está uma equipa bem montada por Manuel Machado, com um “miolo” combativo e extremos abertos a tentar aproveitar todas as transições para surpreender.

Prevejo um jogo difícil. As equipas do Nacional dificultam sempre a vida às equipas do topo da tabela. Há dias tivemos aqui o Nacional, em contextos diferentes, mas é uma equipa que nos vai querer ganhar e tem essa ambição. Tem um jogo a seguir para a Taça, e vai, com certeza, querer ganhar estes dois jogos. Agora, nós só temos um propósito, que é o mesmo de sempre: vamos à Madeira para ganhar e continuar nesta senda vitoriosa”, começou por dizer Rui Vitória, na Conferência de Imprensa de antevisão à partida.

Numa Choupana onde muitas vezes as más condições climatéricas impossibilitam os desafios, o treinador deixa uma certeza: “É evidente que esta questão do mau tempo pode acontecer em qualquer lado. Mas amanhã logo veremos. Seja no pelado, no alcatrão, na relva com nevoeiro, sem nevoeiro, nós vamos para ganhar. É esse o nosso foco!

Ainda acerca do adversário…

Vamos defrontar uma equipa chata, difícil e com um bom treinador. Temos que marcar e não sofrer. É uma verdade de La Palice. Comparativamente ao último desafio, são jogos diferentes, com jogadores diferentes, com histórias diferente e nós temos é de manter o nosso nível e sempre com a mesma visão: ela tem é que entrar na baliza do Nacional e não pode entrar na nossa. Nós estamos a fazer o que sempre dissemos. Estamos a lutar pela aproximação ao 1.º lugar, já estamos em 2.º e é esse o nosso foco. Vamos fazer tudo para ganhar. Vai haver muito campeonato, ainda se vão perder muitos pontos e no final fazem-se as contas”, argumentou o técnico.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Depois do importante triunfo em Guimarães no último fim de semana, e da consequente aproximação à liderança, o objectivo da equipa do Benfica era claro: Somar mais três pontos na luta pelo título! 

O Marítimo à entrada desta ronda ocupava a 10.ª posição, com cinco vitórias, três empates e sete derrotas... e bem recentemente venceu o FC Porto (1-3) nas contas da Taça da Liga e que tem como ambição ficar num lugar europeu, sendo por isso um adversário a ter todo o cuidado possível.

Noite marcada pelas más condições climatéricas na Catedral (frio, vento e chuva), com 31 590 adeptos nas bancadas.

Com Gaitán a contas com um traumatismo no joelho esquerdo, Carcela teve entrada directa no onze inicial. De resto, os mesmos jogadores que alinharam no último jogo em Guimarães.

Antes do apito inicial, momento arrepiante na Catedral, com um minuto de silêncio cumprido religiosamente em memória de Eusébio da Silva Ferreira, numa altura em que se assinalam os dois anos da sua morte.

Benfica_Maritimo_1.jpg

Primeira metade muito interessante, com oportunidades nas duas balizas. Aos 10’, Jonas, na cobrança de um livre directo fica perto do golo; aos 12’ é Raúl que isolado por Jonas, na cara de José Sá, falha o golo inacreditavelmente....  

Os insulares responderam e, aos 19´, grande oportunidade para Dyego Sousa, com Lisandro primeiro e Júlio César depois, a imporem-se na defesa.

O Marítimo apresentou-se na Luz com uma postura plena de ambição, com as linhas muito subidas e juntas, tentando aproveitar depois a rapidez dos seus homens e as bolas nas costas da defesa “encarnada” mas a equipa de Rui Vitória contrariou essa situação a seu favor.

Em seis minutos apenas, o Bicampeão marcou três golos, e praticamente resolveu as contas da partida.

Aos 29’, Pizzi, depois de assistência de Carcela, abre o marcador; aos 33’, novamente Pizzi, agora com um remate de insistência, após cruzamento de Raúl… o mesmo Raúl que, aos 35’, servido por Jonas, faz o 3-0 com que se atingiu o intervalo.

Benfica_Maritimo_2.jpg

Reinício da partida e mais um golo! João Diogo carrega Jonas no coração da área e o “artilheiro” das “águias”, na conversão da respectiva penalidade, assina o 4-0 (51’). Três minutos depois, nova penalidade, desta feita a castigar falta clara sobre Carcela. Jonas, chamado de novo a marcar não vacilou, com um remate poderoso, faz o 5-0.

Com a vitória assegurada e o controlo da partida, Rui Vitória abdica de Jonas e Renato, colocando em campo, Gonçalo Guedes e Talisca.

Entrada feliz de Talisca, que na primeira vez que toca na bola, depois de combinação com Pizzi, remata de fora da área para a meia dúzia.

Benfica_Maritimo_3.jpg

Até ao final, os jogadores do Benfica ainda dispuseram de mais algumas oportunidades para dilatar o marcador , mas não mais se alterou!

Com este resultado, o SL Benfica sobe à 2.ª posição da tabela classificativa, soma 37 pontos, fruto de 12 vitórias, um empate e três derrotas, com 41 golos marcados e dez sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches (Talisca, 68’) e Carcela; Raúl (Mitroglou, 76’) e Jonas (Gonçalo Guedes, 68’).

#RumoAo35

Autoria e outros dados (tags, etc)


Antevisão do jogo com o Marítimo

por João Silva, em 06.01.16

benfica-maritimo-campeonato-250x150.jpg

O Benfica que ganhou três pontos ao FC Porto na última jornada, depois de ter conquistado três pontos ao Sporting na jornada anterior, tem subindo degrau a degrau na classificação, chegando a esta ronda a apenas a dois pontos dos dragões a quatro dos leões no topo da classificação. Desde a derrota diante do Sporting, no final de outubro, a equipa de Rui Vitória somou 22 pontos em 24 possíveis, deixando escapar apenas pontos no nulo que consentiu diante do União da Madeira. Na última jornada, apesar de mais uma exibição pouco convincente, o Benfica somou mais três pontos no difícil Dom Afonso Henriques.

Gaitán é a grande ausência na lista de convocados do Benfica. O médio argentino tinha recuperado, voltou a jogar na última semana, em Guimarães, mas acabou o jogo com limitações e volta agora a parar. Carcela deverá ter, assim, nova oportunidade para jogar de início. No meio-campo, Renato Sanches é indiscutível, falta saber se o treinador continua a apostar em Fejsa ou devolve o lugar a Samaris.

Rui Vitória em antevisão ao jogo afirmou: «Espero um Marítimo de qualidade, como tem sido norma nos últimos anos e também nesta fase onde tem conseguido bons resultados. Tem jogadores que nos podem causar problemas, a nós e a qualquer equipa, como provou frente ao FC Porto. Agora, a nossa grande preocupação é preparar a nossa equipa o melhor possível para ganhar. Jogar com o máximo respeito pelo adversário, como sempre, neste caso o Marítimo, mas, em casa, obviamente vamos jogar para ganhar, aliás, como é sempre o nosso foco"

O Benfica tem saido vitorioso nos últimos cinco jogos com os madeirenses e a última vez que perdeu pontos em casa foi na temporada de 2009/10, quando se registou um empate a um golo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O encontro no Estádio D. Afonso Henriques assinalou o regresso de Rui Vitória a Guimarães e também o regresso do SL Benfica ao palco onde festejou a conquista do Bicampeonato na temporada transata.

Sem Samaris – castigado – e como principal destaque o regresso de Gaitán diretamente ao onze de Rui Vitória, os “encarnados” – cientes da importância dos três pontos – entraram em campo com uma postura ambiciosa e aguerrida.

Guimarães_Benfica_2.jpg

Do outro lado, o 9.º classificado, orientado por Sérgio Conceição e em claro crescendo, respondeu da mesma moeda, situação traduzida numa primeira metade muito intensa, disputada até aos limites e com algumas situações de golo.

O Benfica ia tendo mais oportunidades, mais remates, mais posse de bola… mas a bola não queria entrar!

Destaque para os minutos finais dos primeiros 45 minutos. Depois de Licá (34’) ameaçar, os “encarnados” carregaram com tudo e, não fosse o guarda-redes Miguel Silva a mostrar serviço, as “águias” teriam ido para o descanso em vantagem, com Jonas a dispor de três boas ocasiões consecutivas para marcar.

Guimarães_Benfica_3.jpg

Segunda metade a começar com mais velocidade, ritmo intenso, muita vontade e as quezílias a manterem-se!

Desafio mais aberto, com os jogadores a jogarem muitas vezes mais com o coração do que com a cabeça… e as oportunidades de golo começaram a surgir com maior frequência, com Pizzi (65’ e 69’) em plano de evidência, depois de um bom reinício dos anfitriões a que Júlio César correspondeu.

Aos 74’, finalmente, o golo do Bicampeão! Na sequência de um livre, a bola sobra para Renato Sanches que, à primeira vê a bola embater na muralha de jogadores adversários, mas não desiste e, à segunda, remata forte e colocado para mais um golaço!

Guimarães_Benfica_1.jpg

Um golo pleno que raça e que valeu três pontos muito importantes nas aspirações do grupo, face a um janeiro em que enfrentará em ciclo exigente de oito jogos em somente 30 dias.

Com este resultado, o SL Benfica ocupa a 3.ª posição da tabela classificativa, soma 34 pontos, fruto de 11 vitórias, um empate e três derrotas, com 35 golos marcados e dez sofridos.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César, André Almeida, Jardel, Lisandro, Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches, Gaitán (Carcela, 67’); Raúl (Cristante, 88’) e Jonas (Mitroglou, 90+1’).

#RumoAo35

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 3/3



Simbolo
Fundador
115-anos
Reconquista-37

OBENFICA

MISTICA

twiiter

# Classificação 2019/20








Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

CONTACTO silva.joaodiogo@hotmail.com

Pesquisar

Pesquisar no Blog