Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O Benfica está de regresso às vitórias e à liderança da Liga NOS após vencer o Nacional, este domingo, no Estádio da Luz, perante 48.638 espectadores, por 3-0.

De Setúbal para a Luz, duas mudanças no onze inicial. Salvio e Eliseu nos lugares de Franco Cervi e André Almeida. De resto tudo na mesma.

Benfica_Nacional 1.jpg

Interessantes 20 minutos do Nacional, mormente do ponto de vista defensivo. Os comandados por Predrag Jokanovic juntaram as linhas defensiva e intermediária, e o Benfica sentiu algumas dificuldades de construção em ataque continuado; os perigos advinham de transições rápidas que apanhavam os madeirenses em contrapé.

Sem conseguir construir lances de perigo, o brasileiro Jonas foi, todavia, a referência com os remates a saírem sem perigo. Apenas aos 19’, o camisola 10 testou a atenção de Adriano Facchini. O Benfica parecia libertado da teia do Nacional e no minuto seguinte, Salvio remata para defesa de Adriano Facchini após contra-ataque conduzido por Zivkovic.

Estava dado o mote para o que se seguiria até ao intervalo: golos e várias oportunidades desperdiçadas. Os primeiros festejos surgiram aos 25’. Zivkovic descobriu Jonas na área, e o brasileiro, de cabeça, inaugurou o marcador na Luz.

Benfica_Nacional 2.jpg

O avançado Benfiquista tem uma predileção por marcar aos alvi-negros e o bis apareceu aos 35 minutos. Nélson Semedo conduziu o ataque, deixou o esférico à entrada da área e Jonas desferiu um remate de belo efeito. Estava feito o 2-0!

Já só dava Benfica e o Nacional sentia dificuldades em acercar-se da área encarnada. Aos 40’, Pizzi rematou para defesa do guardião nacionalista após passe de Zivkovic. O sérvio estava mesmo endiabrado e volvidos cinco minutos colocou o esférico na cabeça de Mitroglou que saiu um tudo-nada ao lado.

Com 2-0 ao intervalo, as águias vieram mais pressionantes no reatamento, com o Nacional a ficar cada vez mais remetido ao seu meio-campo. A controlar o jogo com posse de bola, o Benfica foi gerindo a vantagem com segurança, dinâmica e maturidade. Em contraciclo esteve o árbitro, Luís Godinho. Aos 59 minutos deveria ter expulsado Rui Correia por entrada grosseira por trás e sem bola sobre Salvio, e minutos depois não amarelou Adriano Facchini por ter atirado a bola para longe depois de o ter feito a Jonas e Ederson.

De regresso ao futebol jogado, destaque para o cabeceamento de Mitroglou aos 69’ para defesa de Facchini. O passe foi de Nélson Semedo. Com o jogo controlado, Arnado Teixeira, treinador-adjunto de Rui Vitória, permitiu a estreia de Filipe Augusto, um dos reforços de inverno.

Benfica_Nacional 4.jpg

Não satisfeito com o 2-0, o Tricampeão queria mais e o 3-0 surgiu aos 81 minutos por Mitroglou, que concluiu uma bela jogada coletiva.

Benfica_Nacional 3.jpg

A turma da Luz lidera a classificação da Liga NOS, com 48 pontos. Na sexta-feira recebe o Arouca, às 20h30.

O Benfica alinhou com Ederson; Nélson Semedo, Luisão, Lindelöf, Eliseu; Fejsa, Pizzi (Filipe Augusto, 78’), Salvio (Rafa, 70’), Zivkovic; Jonas e Mitroglou (Carrillo, 82’).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


TRIcampeões

por João Silva, em 16.05.16

TRICAMPEÕES.jpg

Estádio da Luz completamente cheio numa romaria das antigas até à Catedral, com a fé no 35! Às 17h00 as bancadas deram a conhecer a coreografia para o jogo com o Nacional. Estava tudo a postos para o apito inicial do encontro da 34.ª jornada da Liga NOS.

No momento da grande decisão, o Sport Lisboa e Benfica mostrou ter estofo de… Tricampeão! Venceu o Nacional por 4-1 e consumou com a renovação do título uma recuperação extraordinária na tabela classificativa até à liderança depois de muita luta e união.

O Benfica termina a edição 2015/16 da Liga NOS com 29 vitórias em 34 jogos, 88 golos marcados e 88 pontos. Impressionante!

TRICAMPEÕES2.jpg

O Benfica alinhou com Ederson (Paulo Lopes, 81’); André Almeida, Lindelöf, Jardel, Grimaldo; Fejsa (Samaris, 52’), Talisca, Pizzi, Gaitán; Jonas e Mitroglou (Raúl Jiménez, 72’).

 

VIVA O BENFICA!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Benfica viajou até à Pérola do Atlântico, tendo a partida, inicialmente agendada para as 20h30 de domingo, sido adiada devido ao intenso nevoeiro que cobriu o recinto… uma situação que se repete e que, mais uma vez, impossibilitou a visibilidade e consequente decorrer do encontro.

Reinício de jogo com um canto e bem animado… contra-ataque rápido das “águias”, com Carcela, lançado por Pizzi, a permitir a defesa de Rui Silva. Instantes depois nova oportunidade de golo, desta feita por Lisandro, após um livre, de cabeça, a dar o mote.

O Benfica carregava e o golo adivinhava-se! Aos 22’, grande jogada do jovem, Renato Sanches, a cruzar para o coração da área. Jonas surge no local certo, encosta, mas a bola acaba por subir e passar a trave… Incrível!

No minuto seguinte o “Jonas Pistolas” redimiu-se! Enorme cruzamento de Carcela e Jonas, de cabeça, a colocar a bola no fundo das redes. Estava feito o 0-1.

Nacional_Benfica_1.jpg

O jogo estava aberto e o Nacional respondeu! Minuto 28’ e Soares, com um remate poderoso testou Júlio César que respondeu com segurança. Na sequência do lance, canto, e o mesmo jogador surge solto a cabecear perigosamente.

Ao intervalo, o SL Benfica estava em vantagem, mas o resultado pecava por escasso…

A segunda metade começaria “espevitada”… e com o empate! A defesa “encarnada” tardou em limpar a bola de zona perigosa e Soares, o mesmo que ameaçara o empate nos primeiros 45’, rematou para o 1-1.

Os “encarnados” reagiram prontamente! Cinco minutos volvidos, lançamento lateral de Eliseu, Raúl cruza para a área e Jonas, agora de pé direito, a fazer o 1-2 e a recolocar justiça no marcador.

O melhor marcador das “águias” estava inspirado e não tardou em surgir o “hat-trick”. Minuto 62, assistência de Pizzi e Jonas – de cabeça – a dilatar a vantagem para 1-3.

Em cima do apito final, Mitroglou, recém-entrado na partida, com um remate colocado, sentencia o marcador num 1-4 final.

Nacional_Benfica_2.jpg

Vitória justa, da melhor equipa em campo, frente a um adversário que nunca deitou a “toalha ao chão”, num desafio animado e com golos!

Numa jornada em que os principais rivais também somaram três pontos, os “encarnados” mantêm o 2.º lugar da classificação geral, somando 40 pontos (13V,1E,3D), com 45 golos marcados e 11 sofridos.

O SL Benfica alinhou com o seguinte onze: Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Pizzi, Renato Sanches e Carcela (Gonçalo Guedes, 84’); Raúl (Mitroglou, 72’) e Jonas (Talisca, 86’).

#RumoAo35

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Bicampeão Nacional defronta a formação do CD Nacional, numa partida relativa à 17.ª jornada do Campeonato Nacional.

Depois da vitória dos “encarnados” frente a este mesmo adversário mas para as contas da Taça da Liga, Rui Vitória quer repetir a dose e manter desta forma a senda de triunfos.

Do outro lado está uma equipa bem montada por Manuel Machado, com um “miolo” combativo e extremos abertos a tentar aproveitar todas as transições para surpreender.

Prevejo um jogo difícil. As equipas do Nacional dificultam sempre a vida às equipas do topo da tabela. Há dias tivemos aqui o Nacional, em contextos diferentes, mas é uma equipa que nos vai querer ganhar e tem essa ambição. Tem um jogo a seguir para a Taça, e vai, com certeza, querer ganhar estes dois jogos. Agora, nós só temos um propósito, que é o mesmo de sempre: vamos à Madeira para ganhar e continuar nesta senda vitoriosa”, começou por dizer Rui Vitória, na Conferência de Imprensa de antevisão à partida.

Numa Choupana onde muitas vezes as más condições climatéricas impossibilitam os desafios, o treinador deixa uma certeza: “É evidente que esta questão do mau tempo pode acontecer em qualquer lado. Mas amanhã logo veremos. Seja no pelado, no alcatrão, na relva com nevoeiro, sem nevoeiro, nós vamos para ganhar. É esse o nosso foco!

Ainda acerca do adversário…

Vamos defrontar uma equipa chata, difícil e com um bom treinador. Temos que marcar e não sofrer. É uma verdade de La Palice. Comparativamente ao último desafio, são jogos diferentes, com jogadores diferentes, com histórias diferente e nós temos é de manter o nosso nível e sempre com a mesma visão: ela tem é que entrar na baliza do Nacional e não pode entrar na nossa. Nós estamos a fazer o que sempre dissemos. Estamos a lutar pela aproximação ao 1.º lugar, já estamos em 2.º e é esse o nosso foco. Vamos fazer tudo para ganhar. Vai haver muito campeonato, ainda se vão perder muitos pontos e no final fazem-se as contas”, argumentou o técnico.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Taça da Liga: SL Benfica 1-0 Nacional Madeira

por João Silva, em 30.12.15

Com uma tradição a manter, esta é mais uma competição para ganhar, mas Rui Vitória aproveitou também para dar minutos a alguns jogadores menos utilizados, promovendo várias alterações no onze inicial, com Ederson e Lindelof em estreia absoluta na equipa principal em 2015/16.

Ederson.jpg

No arranque da defesa do Troféu, o Benfica encontrou um Nacional que ocupa a 12.ª posição na Liga NOS, com 15 pontos, com quatro vitórias, três empates e sete derrotas (12 golos marcados e 15 sofridos)… mas que se apresentou na Luz pleno de ambição: início da partida e grande defesa de Ederson a mostrar serviço!

Primeira metade morna, muito morna, com os insulares muito bem organizados a nível defensivo – mas a espreitar o contra-ataque – com o Benfica a dispor de um par de boas oportunidades para inaugurar o marcador através de Carcela (35’) e Talisca (45’).

Carcela.jpg

Ao intervalo o nulo mantinha-se!

Segunda metade iniciada a papel químico da primeira com Ederson, com nova grande intervenção, desta feita a negar o golo a Luís Aurélio.

Na busca dos três pontos, Rui Vitória colocou em campo Renato Sanches, Jonas e Raúl mas a equipa de Manuel Machado manteve o atrevimento e esteve mesmo muito perto de marcar na Luz.

Jonas_Jimenez.jpg

Nos vinte minutos finais o Benfica carregou, intensificou a pressão, os lances atacantes sucederam-se mas foi preciso esperar pelo minuto 89’ para ver a redondinha finalmente entrar!

Enorme cruzamento de Pizzi - na direita - a encontrar o avançado mexicano junto à marca de grande penalidade. Raúl antecipa-se a Nuno Campos e remata sem hipóteses para Gottardi.

Pizi.jpg

Estava feito o 1-0, resultado final da partida!

No outro desafio do Grupo, o Oriental perdeu com o Moreirense por 2-4. João Sousa (6), Boateng (45+2’) e Rafael Martins (86’ gp e 90') fizeram os golos dos vimaranenses; Tom (34’) e Fernando Santos (90+2’) foram os autores dos tentos dos cónegos.

Com estes resultados, Moreirense e SL Benfica somam três pontos, seguindo-se CD Nacional e Oriental com zero.

O SL Benfica apresentou o seguinte onze: Ederson; Sílvio, Lindelof, Lisandro, Eliseu; Samaris, Pizzi, Cristante (Renato Sanches, 45’), Talisca (Jonas, 57’), Carcela; Mitroglou (Raúl, 76’).

Benfica_Nacional.jpg

A Taça da Liga tem a 2.ª jornada agendada para o dia 19 de janeiro, com os “encarnados” a deslocarem-se ao reduto do Oriental.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Taça CTT.png

O Benfica recebe esta terça-feira o Nacional da Madeira, em jogo da primeira jornada da fase de grupos da Taça da Liga.

Os "encarnados", atuais detentores do troféu, partem à procura do sétimo título em nove edições da prova. O Benfica tem sido rei e senhor desta Taça da Liga que já venceu por sete vezes. SC Braga e V. Setúbal são as outras equipas que já ganharam esta prova.

Para o jogo de hoje, Rui Vitória deixou bem claro que quer vencer, para assim arrancar bem na prova. Os "encarnados" vão ter a oportunidade de se despedirem de 2015 em casa, frente aos seus adeptos, num encontro que pode lançar a equipa para as meias-finais da prova, em caso de triunfo sobre o Nacional.

O técnico "encarnado" não deverá fazer muitas alterações na equipa. Do lado do Nacional, Manuel Machado terá de mexer algumas pedras no seu xadrez já que não pode contar com Salvador Agra, João Aurélio e Mauro.

Jogar contra o Nacional é tradicionalmente difícil porque é uma equipa que se bate muito bem, organizada, que sabe sair para o contra-ataque. Temos que ter todas as atenções porque cria muitos problemas aos adversários. Mas isso não invalida aquilo que queremos para o jogo e que a nossa dimensão exige”, afirmou Rui Vitória.

Convocados:

Guarda-redes – Ederson, Júlio César e Paulo Lopes;

Defesas – Lisandro, Lindelof, Eliseu, Sílvio, Jardel e André Almeida;

Médios – Fejsa, Samaris, Pizzi, Cristante, Talisca, Carcela, Renato Sanches e Gonçalo Guedes;

Avançados – Raúl, Mitroglou e Jonas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Nacional 2-4 SL Benfica

por João Silva, em 18.03.14

Com o triunfo no terreno do Nacional da madeira, o Benfica deu um passo de gigante rumo ao título!
Mantem os sete pontos de vantagem sobre o Sporting e passa a ter 12 de avanço sobre o FC Porto, terceiro classificado.
O Nacional chegou cedo à vantagem, numa grande penalidade duvidosa de Candeias a punir mão na bola de Luisão (6m).
Mas o Benfica mostrou que está num bom momento de forma, confiante, pelo que a reação à desvantagem foi fulgurante.
Lima começa por fazer o empate (24m), após assistência de Rodrigo. O avançado espanhol faria depois o 1-2, no melhor golo da noite, num remate potente em arco à entrada da área (33m). Antes do intervalo, o argentino Garay, num cabeceamento colocado, após um pontapé de canto, ampliou a vantagem benfiquista (42m).
Na segunda parte, o Benfica preocupou-se mais em gerir o resultado, pelo que a partida só voltou a ganhou emoção na reta final, quando Djaniny reduziu para o Nacional (81m). Com os madeirenses a arriscarem tudo, na procura do empate, o central Garay sentenciou o jogo, com novo golo de cabeça, após centro de Sílvio (89m).

Carrega Benfica!

Autoria e outros dados (tags, etc)


SLBenfica 4 - Nacional 1

por João Silva, em 12.02.12

 

Um Benfica demolidor venceu, este sábado, o Nacional por 4-1, em encontro da 18.ª jornada da Liga de futebol, no qual os "cinco magníficos" do seu ataque "abriram o livro" e atestaram o bom momento de forma da equipa.

 

Em vésperas de defrontar o Zenit, para a Liga dos Campeões, o Benfica deu uma demonstração de poder, pela dinâmica que impôs ao jogo desde o primeiro minuto, exibindo frescura física, velocidade, automatismos, improvisação e soluções ofensivas para todos os gostos, que proporcionaram lances de futebol de grande espectacularidade e qualidade.

 

Quando o Benfica joga desta maneira, não há em Portugal adversários capazes de travar a equipa, que abordou o jogo de uma forma determinada e agressiva, disposta a resolver a questão o mais cedo possível.

 

Jorge Jesus apostou nos "cinco magníficos" no ataque, comandados pelo "maestro" Aimar, com Gaitán e Nolito nas alas, e Rodrigo e Cardozo no eixo, tendo sido o espanhol uma unidade mais móvel e com liberdade para cair sobre as faixas laterais ou para recuar e romper de trás para a frente, criando desequilíbrios por essa via.

 

 

A verdade é que o Nacional, pese embora a sua boa organização defensiva, foi impotente para suster a "avalanche" ofensiva dos encarnados, sobretudo numa fase em que Nico Gaitán e Rodrigo, que foram os dois melhores jogadores em campo, estão em grande momento de forma.

 

 

 

O argentino, que atravessou um período menos bom, está de novo ao seu melhor nível, enquanto o espanhol se afirma a cada jogo que passa como um avançado de categoria mundial, acompanhados de perto por Nolito e Aimar, e de mais longe por um Cardozo que, desta vez, até nem revelou a eficácia do costume, caso contrário o Nacional teria saído da Luz com uma derrota bem mais pesada.

 

 

 

 

Viva o Maior Clube do Mundo!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Antevisão do Benfica-Nacional

por João Silva, em 11.02.12
O Benfica recebe hoje o Nacional, em jogo da 18.ª jornada da Liga de futebol.

 

Na Luz, que se espera que esteja bem composta de adeptos, o Benfica tentará dar sequência às sete vitórias consecutivas na Liga, num jogo em que já poderá contar com Luisão e Emerson, enquanto Yannick fica de fora por opção.

A equipa de Jorge Jesus, entra num ciclo decisivo que pode definir o sucesso desta época, depois de receber hoje o Nacional, tem duas deslocações a Guimarães e Académica, seguindo-se o FC Porto na Luz, isto para o campeonato, porque pelo meio, vai jogar ainda com o Zenit para liga dos campeões, pelo que é fundamental que hoje consiga vencer o Nacional, criando alguma pressão sobre o segundo classificado, que fica a oitos pontos de desvantagem, pelo menos até domingo.


O apoio dos adeptos está garantido, resta agora aos jogadores fazerem a sua parte.

Força Benfica! Rumo ao 33º!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Nacional 0 - SLBenfica 2

por João Silva, em 30.08.11

O SLBenfica venceu o Nacional da Madeira, com uma exibição bem conseguida, neste encontro da 3.ª jornada, ficando, ainda que à condição, lider desta prova.

 

Esta partida que se previa muito disputada a meio-campo, fez com que Jorge Jesus alinhasse com uma linha média mais robusta, em detrimento de um segundo avançado. No centro da defesa por lesão de Garay, entrou Jardel.

 

 

Em condições atmosféricas adversas, com o nevoeiro a causar algumas interrupções de jogo na primeira parte, a equipa do SLBenfica conseguiu adiantar-se no marcador. Com 21 minutos decorridos, Gaitán recebeu no flanco direito e centrou com conta, peso e medida para a cabeça de Cardozo, que depois de se antecipar ao marcador directo, rematou como mandam as regras, de cima para baixo. Estava inaugurado o marcador. Mais um para a conta pessoal do melhor artilheiro estrangeiro de sempre da história do SLBenfica.

 

 

A etapa complementar iniciou-se com céu limpo e o encontro não voltou a ser interrompido. O Nacional entrou mais pressionante por estar em desvantagem, mas nunca levou real perigo às redes do "Rei" Artur.
Os jogadores do SLBenfica foram tomando conta da posse de bola e o controlo do jogo foi aumentando, não deixando de proporcionar alguma ansiedade perante uma vantagem miníma, embora as jogadas de ataque fossem muitas e bonitas, adivinhando-se o segundo tento da tranquilidade.

 

 

Já em periodo de descontos, Bruno César, a passe de Artur, correu cerca de 70 metros e depois de ultrapassar o último elemento do Nacional, finalizou com categoria e sem piedade, selando mais três pontos, num campo complicado.

 

O SLBenfica apresentou o seguinte onze: Artur, Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Emerson, Javi García, Nico Gaitán (Ruben Amorim 90’), Nolito (Bruno César 45’), Witsel, Aimar (Enzo Peréz 78’) e Cardozo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


um passado de glória um futuro de vitória benfica




twiiter

# Classificação 2017/18




# Universo Benfiquista











titulos GLORIAS ETERNAS

eusébio
Mario Coluna








Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


CONTACTO emailsilva.joaodiogo@hotmail.com