Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


pele_eusébio.png

LISTA DE TODOS OS JOGOS:

23/07/1957 – Santos FC 3-2 SL Benfica – Vila Belmiro – Amistoso
15/06/1961 – Santos FC 6-3 SL Benfica – Paris, França – Torneio de Paris
19/09/1962 – Santos FC 3-2 SL Benfica – Maracanã – Mundial Interclubes
11/10/1962 – SL Benfica 2-5 Santos FC – Lisboa – Mundial Interclubes
21/08/1966 – Santos FC 4-0 SL Benfica – New York, Estados Unidos – Torneio de New York
18/08/1968 – Santos FC 4-2 SL Benfica – Buenos Aires, Argentina – Pentagonal de Buenos Aires
01/09/1968 – Santos FC 3-3 SL Benfica – New York, Estados Unidos – Amistoso

 

15/06/1961 – Santos FC 6-3 SL Benfica
Local: Estádio Parc des Princes, em Paris, França.
Competição: Torneio de Paris
Árbitro: Pierre Achinte

Santos: Laércio; Mauro e Décio Brito; Getúlio, Brandão e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Benfica: Barroca; João, Angelo (Mendes) e Germano; Neto e Cruz; José Augusto, Santana (Eusébio), Águas, Coluna e Cavem.
Golos: Pelé [2], Pepe [2], Coutinho e Lima; Eusébio [3]

 

19/09/1962 – Santos FC 3-2 SL Benfica
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Competição: Mundial Interclubes
Árbitro: Ruben Cabrera (Paraguai)

Santos: Gilmar; Lima, Mauro, Calvet e Dalmo; Zito e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Benfica: José Rita; Angelo, Humberto, Raúl e Cruz; Cavem e Coluna; José Augusto, Santana, Eusébio e Simões. Técnico: Fernando Riera.
Golos: Pelé aos 31min do primeiro tempo; Santana aos 14min, Coutinho aos 19min, Pelé aos 41min e Santana aos 42min do segundo tempo.

 

11/10/1962 – SL Benfica 2-5 Santos FC
Local: Estádio da Luz, em Lisboa, Portugal.
Competição: Mundial Interclubes
Árbitro: Pierre Schinter (França)

Santos: Gilmar; Olavo, Mauro, Calvet e Dalmo; Zito e Lima; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Benfica: Costa Pereira; Humberto, Raul e Cruz; Cavem e Jacinto, José Augusto, Santana, Eusébio, Coluna e Simões. Técnico: Fernando Riera.
Golos: Pelé aos 17min e aos 27min do primeiro tempo; Coutinho aos 3min, Pelé aos 20min, Pepe aos 32min, Eusébio aos 41min e Simões aos 44min do segundo tempo.

 

21/08/1966 – Santos FC 4-0 SL Benfica
Local: Estádio Randalls Island Stadium, em New York, no Estados Unidos.
Competição: Torneio de Nova York
Árbitro: John Di Salvatore

Santos: Gilmar; Carlos Alberto, Oberdan, Orlando e Lima; Zito (Joel) e Mengálvio; Dorval (Amauri), Toninho, Pelé (Salomão) e Edu. Técnico: Lula
Benfica: Costa Pereira; Raul, Cruz , Caven, Jacinto; Jaime Graça, José Augusto (Iaúca), Torres (Nélson), Eusébio, Coluna e Simões. Técnico: Fernando Rieira
Golos: Toninho aos 16min do primeiro tempo; Edu aos 13min e aos 19min e Pelé aos 31min do segundo tempo.

 

18/08/1968 –  Santos FC 4-2 SL Benfica
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, Argentina.
Competição: Pentagonal de Buenos Aires
Árbitro: Aurelio Bozzolini

Santos: Gilmar (Cláudio); Carlos Alberto, Ramos Delgado, Oberdan e Rildo; Joel Camargo (Negreiros) e Lima; Amauri, Toninho, Pelé (Almiro) e Pepe. Técnico: Antoninho
Benfica: José Henrique; Jacinto, Humberto, Raul e Cruz; Jaime Graça (Toni) e Coluna; José Augusto, Torres, Eusébio (Calado) e Simões. Técnico: Otto Gloria
Golos: Toninho Guerreiro aos 8min e aos 32min do primeiro tempo; Toninho aos 2min e 20min, Toni aos 3min e Calado aos 43min do segundo tempo.

 

01/09/1968 –  Santos FC 3-3 SL Benfica
Local: Yankee Stadium, em New York, Estados Unidos.
Competição: Amistoso

Benfica: Nascimento; Jacinto, Raul, Humberto e Cruz; J. Graça e Coluna; Zé Augusto, Torres, Eusébio e Simões.
Santos: Cláudio; Carlos Alberto, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Lima (Orlando) e Negreiros; Edu, Toninho, Pelé e Pepe. Técnico: Antoninho
Golos: Carlos Alberto, Edu e Toninho; Jacinto, Zé Augusto e Eusébio.

Fonte: http://acervosantosfc.com/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A caminhada do Real Madrid de 16 triunfos seguidos na Liga espanhola terminou na quarta-feira, situação que o deixou em 15º na lista das maiores séries vitoriosas de sempre na Europa, liderada pelo Benfica.

Benfica_1971-1973.jpg

29 jogos – Benfica (Portugal) 1971/73
A série do Benfica que ainda é recorde no plano europeu começou no final de uma temporada em que se sagraria campeão e continuou na seguinte, com as "águias" a vencerem o título em 1972/73 sem perder – algo que nunca acontecera em Portugal. O treinador inglês Jimmy Hagan era o líder de uma equipa que contava com Eusébio. "Ele gostava de disciplina. Os jogadores pensavam que os seus treinos eram muito duros, mas a equipa começou rapidamente a ganhar jogos e vimos que tudo valia a pena. Ele deu-nos uma força extra e essa foi a razão porque ganhámos três campeonatos seguidos", recordeu em tempos o "Pantera Negra".

28 – Dinamo Zagreb (Croácia) 2006/07
Eduardo, Luka Modrić e Vedran Ćorluka foram peças-chave na fantástica sequência do Dínamo na Croácia, iniciada com uns 5-1 sobre o Istra em Novembro de 2006 que seria terminada apenas com uma derrota por 4-3 na visita ao Varteks (actual Varaždin), em Setembro de 2007. Na véspera deste jogo, o treinador Branko Ivanković afirmou: "Temos uma grande equipa. Vamos vencer pela 29ª vez seguida e assim igualar o recorde do Benfica de modo a que esta geração do Dínamo fique na história do futebol mundial."

25 – Celtic (Escócia) 2003/04
O Celtic atingiu um novo máximo nas ilhas britânicas de 25 jogos seguidos a ganhar no campeonato entre Agosto de 2003 e Fevereiro de 2004, apontando 86 golos no percurso, numa formação orientada por Martin O'Neill e que conquistou a "dobradinha" na Escócia na última temporada de Henrik Larsson ao serviço do emblema de Glasgow.

25 – Dinamo Tirana (Albânia) 1951/52
O Dínamo fez história durante a série de quatro títulos nacionais seguidos, iniciados em 1950, o ano da fundação, até 1953. Iniciou-se frente ao Puna, a 18 de Abril de 1951, na 17ª jornada, e terminou a 1 de Junho do ano seguinte, quando empatou 0-0 ante o mesmo adversário.

24 – Crvena zvezda (Sérvia) 2015/16

Entre o empate 1-1 em casa frente ao Radnički Niš, a 21 de Julho de 2015 e o 0-0 em Vojvodina, a 2 de Abril de 2016, o Estrela Vermelha de Miodrag Božović venceu tudo e todas, com a sua sequência de 24 jogos rumo ao título a incluir vitórias em casa e fora ante o rival de Belgrado, o Partizan. 

23 – Malmö (Suécia) 1949/50
Depois de ser campeão sueco em 1948/49 com cinco vitórias nas últimas cinco jornadas da temporada, o Malmö manteve o ritmo na temporada seguinte iniciado com uma vitória por 2-0 na visita ao Elfsborg, a 31 de Julho de 1949. Somariam triunfos até um 3-3 na casa do AIK, a 14 de Maio de 1950.

22 – Käpäz (Azerbaijão) 1997/98
O conjunto orientado de Mehman Allahverdiyev de 1997/98 continua a ser a única a ganhar o campeonato sem derrotas, e, durante dez meses, até 23 de Setembro de 1998 ninguém lhe tirou pontos. Diga-se, no entanto, que dois dos 22 jogos ganhos pelo Käpäz o foram na secretaria.

22 – PSV Eindhoven (Holanda) 1987/88

Depois de somar vitórias nas cinco últimas jornadas em 1986/87, o PSV mostrou-se imparável na época seguinte, apesar de ter perdido Ruud Gullit para o AC Milan no Verão. Hans van Breukelen, Ronald Koeman, Eric Gerets, Berry van Aerle, Jan Heintze, Ivan Nielsen, Søren Lerby, Gerald Vanenburg, Wim Kieft e o veterano Willy van de Kerkhof brilhavam sob o comando do estreante treinador Guus Hiddink. Um empate 2-2 com o Twente a 16 de Janeiro de 1988 terminaria essa série, mas o PSV acabaria por vencer sem problemas a "dobradinha" e ainda sagrar-se campeão da Europa.

19 – Bayern München (Alemanha) 2013/14
18 – FH (Islândia) 2004/05
17 – Olympiacos (Grécia) 200506, 2015/16
17 – Internazionale Milano (Itália) 2006/07
17 – Steaua Bucureşti (Roménia) 1988
17 – Dinamo Bucureşti (Roménia) 1988
16
– Real Madrid (Espanha) 2016–17
16
 – Barcelona (Espanha) 2010/11
16 – APOEL (Chipre) 2008/09
16
 – Valur Reykjavík (Islândia) 1978
15 – Bangor City (País de Gales) 2010
15 – Sparta Praha (República Checa) 1999/2000
15
 – Benfica (Portugal) 1963
15 – Real Madrid (Espanha) 1960/61

 

Fonte: pt.uefa.com

Autoria e outros dados (tags, etc)


Moeda dedicada a Eusébio

por João Silva, em 02.06.16

Moeda_Eusébio.jpg

Esta moeda é a primeira da série Heróis do Desporto de moedas de coleção comemorativas da Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM).

Foi desenhada por André Carrilho, um dos mais conceituados e premiados ilustradores e cartoonistas portugueses que publica regularmente na imprensa nacional e internacional, em títulos como o The New York Times, The Independent, Vanity Fair e a revista The New Yorker.

A moeda tem o valor facial de 7,50 euros e conta com uma emissão limitada a 100 mil exemplares em prata 500, com acabamento normal, 5 mil unidades em prata proof e 2.500 moedas em ouro proof.

A INCM criou a série Heróis do Desporto para homenagear as grandes figuras do desporto nacional, cujo exemplo de determinação, esforço e talento é fonte de orgulho e inspiração para várias gerações de portugueses.

Eusébio é o primeiro homenageado nesta série, precisamente quando se completam 50 anos desde o célebre Campeonato do Mundo de 1966, em Inglaterra, onde o ‘Pantera Negra’, com nove golos apontados, foi coroado melhor marcador e melhor jogador da prova.

Nos próximos anos, outras grandes figuras do Desporto português serão inscritas nesta coleção.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eusébio_Rei_Eterno.jpg

"Eusébio não morreu, só se ausentou fisicamente. Com o seu afastamento, nós é que morremos em parte. No meu caso, uma grande parte. A eternidade rima com ele, rima com imortalidade. Enquanto a bola chora - toda a bola chora -, recordamos o seu sorriso generoso e o sorriso à bola, expressão da nossa tão querida portugalidade", afirmou, no elogio fúnebre, junto ao Panteão Nacional, o amigo e "irmão" Simões.

O melhor futebolista português de todos os tempos repousa fisicamente, no lugar reservado aos grandes de Portugal, na sala 3, ao lado de Sophia de Mello Breyner, Humberto Delgado e Aquilino Ribeiro.

Uma honra que surge um ano e sete meses depois da morte a 5 de Janeiro do ano passado.

Há um sentimento nacional unânime em torno de Eusébio, todos os discursos da cerimónia em que estiveram presentes cerca de 600 pessoas, fora os jornalistas e quem assistia das varandas e atrás das barreiras de segurança que as autoridades colocaram nos pontos de acesso ao Panteão, não era Eusébio com o emblema do Benfica, mas com as quinas da selecção portuguesa.

Verdadeiramente, uma figura nacional” e “transversal a divisões ideológicas ou simpatias clubísticas”, como disse o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no seu discurso, “muito obrigado” a “um português excepcional e raro”.

Eusébio, para a Nação Benfiquista, será sempre o Rei.

eusebioadeptos1.jpg

 Descansa eternamente!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eusébio_Pateão_Nacional.jpg

O Parlamento aprovou esta sexta-feira, no debate quinzenal da Assembleia da República, a trasladação de Eusébio da Silva Ferreira para o Panteão Nacional.

A decisão que leva o primeiro desportista ao Panteão Nacional foi aprovada por unanimidade, ficando por decidir a data da trasladação do antigo avançado do Benfica e da Seleção Nacional.
«Conceder honras de Panteão Nacional aos restos mortais de Eusébio da Silva Ferreira, homenageando o símbolo nacional, o homem solidário o futebolista e o desportista excecional, evocando o seu estatuto de verdadeiro marco na divulgação e na globalização da imagem e da importância de Portugal no Mundo», lê-se no documento aprovado.
 
O Pantera Negra terá assim como última morada o local que é destinado «a homenagear e a perpetuar a memória dos cidadãos portugueses que se distinguiram» nas mais variadas áreas da sociedade.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Homenagem_a_eusébio.gif

O jogo deste sábado no Estádio da Luz, pelas 17h00, frente ao Vitória de Guimarães, relativo à 16.ª jornada do Campeonato Nacional, servirá para relembrar o Pantera Negra e a Família Benfiquista deverá marcar presença em força.

O primeiro encontro do ano 2015 no Estádio da Luz ficará marcado pela homenagem a Eusébio. Fez no dia 5 de Janeiro um ano que os portugueses acordaram com a triste notícia que o grande embaixador do Sport Lisboa e Benfica e do Futebol português tinha falecido. Em sua homenagem em sinal de luto, no último ano os jogadores da equipa de Futebol envergaram uma braçadeira preta com o logotipo Eusébio estampado a branco, tal como as restantes equipas do Clube.

Jorge Jesus, líder da prova, vai entrar hoje em campo com a vitória em mente e com o objectivo de manter a vantagem pontual, de seis pontos, em relação ao 2.º classificado.

O triunfo em Penafiel (0-3), com golos de Talisca, Jonas e Jardel, permitiu à equipa consolidar o seu estilo pragmático. Os números comprovam esse facto. O Benfica é agora a melhor defesa da Liga, com sete golos sofridos em 15 jogos (média de 0,46 por jogo). Diante do conjunto duriense alcançou a sétima vitória consecutiva no Campeonato, num registo que é um máximo na temporada.

Desde o primeiro minuto do encontro com o Nacional, na Madeira, na 10.ª jornada, que o guarda-redes Júlio César não vai buscar a bola ao fundo das suas redes. São já cinco jogos de baliza inviolada, o equivalente a 539 minutos sem sofrer golos.

Para o jogo deste sábado, o técnico Jorge Jesus não poderá contar com Maxi Pereira que frente ao Penafiel viu o quinto amarelo na Liga. Em sentido contrário é de esperar o regressos de Eliseu à defesa.

O Vitória de Guimarães chega à Luz moralizado com a goleada frente ao Nacional da Madeira (4-0), numa jornada que permitiu o regresso ao 3.º lugar (posição que dá acesso ao play-off da Liga dos Campeões), deixando para trás o Sporting e o SC Braga.

Ricardo Gomes abriu o marcador e André André fez um “hat-trick”. O médio, de 25 anos, está num grande momento e é um dos grandes responsáveis pela boa campanha dos vimaranenses. André André soma sete golos no Campeonato e dois na Taça de Portugal.

Após ter terminado em 9.º lugar nas últimas duas épocas, e um triunfo na Taça de Portugal em 2012/13, as expectativas do técnico Rui Vitória passam por conseguir uma qualificação europeia. Douglas (guarda-redes), João Afonso (defesa), Hernâni (médio), Bernard (médio) e Traoré (avançado) são outros nomes a ter em atenção. Este último não poderá ser opção para o jogo de domingo pois viu o quinto amarelo frente ao Nacional.

O histórico entre as equipas é muito favorável aos “encarnados”. Nos 138 jogos para o Campeonato Nacional, disputados entre as duas formações, o SL Benfica apresenta um saldo bastante positivo, com 95 vitórias, 22 empates e 21 derrotas. A jogar em casa, em 69 partidas, soma 58 triunfos, oito igualdades e três desaires.

Na época passada, na 20.ª jornada, as “águias” venceram, no Estádio da Luz, por 1-0, com um grande golo de Markovic (aos 40 minutos).

Totais em casa

SL Benfica – V. Guimarães

58 Vitórias

8 Empates

3 Derrotas

197 Golos marcados

35 Golos sofridos

8-0 Vitórias mais expressivas (1972/73 e 1083/84)

Última partida (2013/14)

Fonte: SLBenfica.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quinas_de_Ouro.jpg

A Federação Portuguesa de Futebol divulgou os nomeados para vários prémios que serão entregues na Gala “Quinas de Ouro”, marcada para dia 14 de Janeiro, no Casino Estoril.

Eusébio da Silva Ferreira está entre os nomeados para jogador do Centenário para a FPF, juntamente com Figo e Cristiano Ronaldo.

Para votar entre no site do organismo.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Avenida Eusébio da Silva Ferreira

por João Silva, em 10.12.14

SLB_Clube_Eusebio.jpg

A Câmara de Lisboa vai aprovar esta quarta-feira a atribuição do nome de Eusébio da Silva Ferreira a um troço da Segunda Circular em frente ao Estádio da Luz.

A proposta, que «vai ser subscrita por todas as forças políticas» com representação na Câmara (PS, PSD, CDS-PP e PCP e movimento Cidadãos por Lisboa, eleitos nas listas dos socialistas), foi levada à reunião do executivo municipal desta manhã.

Após esta aprovação, o troço da Segunda Circular em frente ao Estádio da Luz vai passar a chamar-se Avenida Eusébio da Silva Ferreira.

Uma merecida homenagem ao maior futebolista português de todos os tempos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


A História do Benfica é hoje

por João Silva, em 29.10.14

eusébio.png

 

Hoje, 29 de Outubro de 1973, Eusébio recebeu a sua segunda Bota de Ouro, em Paris. Ao ser o melhor marcador dos campeonatos nacionais da Europa, com 40 golos marcados em 1972/73, o “Pantera Negra” foi novamente consagrado com o prestigiado troféu. A sua primeira Bota de Ouro tinha sido conquistada em 1968, na primeira edição deste prémio instituído pela France Football.

No Museu – Área 24. O “Pantera Negra” e outras lendas

Fonte: SLBenfica

Autoria e outros dados (tags, etc)


Alguns mitos e boatos sobre Eusébio

por João Silva, em 18.08.14

Apelidado de "Pantera Negra", Eusébio foi conhecido mundialmente pela sua velocidade, técnica e uma capacidade fora do normal para marcar golos. Considerado um dos melhores jogadores de sempre, Eusébio marcou o final da década de 60 ajudando Portugal a colocar o seu nome na história dos Campeonatos do Mundo. Eusébio foi o melhor goleador da edição de 1966 do Campeonato do Mundo, com nove golos (sendo quatro deles contra a Coreia do Norte).  Não obstante, Eusébio foi a grande estrela do Benfica na conquista da segunda Taça dos Campeões Europeus (hoje corresponde à UEFA Champions League) de 1962 ante o Real Madrid de Di Stefano. 

A carreira após o futebol português

Após sair do Benfica em 1975 (depois de 15 anos com o clube), Eusébio teve pequenas passagens por outras equipas, principalmente por equipas dos Estados Unidos, que estavam começando a fomentar o futebol no país. Eusébio chegou a jogar contra Pelé em equipas como Boston Minutemen, Toronto, Las Vegas Quicksilvers e New Jersey Americans. Foram poucos os golos, mas foi uma passagem interessante na sua carreira.

Após acabar a sua carreira futebolística, Eusébio não seguiu o caminho que hoje é comum para jogadores famosos (Ronaldo, por exemplo, tem uma empresa que agencia atletas, a 9ine e é imagem de marca de um site de poker, a Poker Stars). Ele apenas se dedicou a comentar alguns jogos na TV e algumas passagens como técnico.

Eusébio continua a ser a materialização do sucesso do futebol português.

A famigerada história do sequestro

Embora Eusébio tenha jogado num clube com afiliação ao Sporting em Moçambique (o Sporting Lourenço Marques), seu contrato profissional foi com o Benfica.

Aí surgiu um boato: seria verdade que dirigentes do Benfica sequestraram Eusébio na sua chegada a Portugal, forçando-o a morar numa vila de pescadores, treinando sozinho na praia?

Um dirigente do Sporting levantou a hipótese de que Eusébio havia sido sequestrado. Mas tudo não passou de mentiras, dado que nunca apareceu nenhuma evidencia de que houvesse qualquer acordo entre Eusébio e o Sporting

Segundo o próprio Eusébio em entrevista para o site Four Four Two, sua mãe assinou um contrato com o Benfica por 250 contos (o que hoje seria algo como 1250 euros), insistindo numa cláusula de que caso o seu filho não se adaptasse, o dinheiro já estaria depositado num banco em Moçambique e nada seria retirado da sua conta.

A polémica pela marcação cerrada a Pelé

Uma das partidas mais emociantes na história dos Campeonatos do Mundo é justamente uma das mais felizes na história do futebol português. Portugal derrotou o Brasil e seguiu seu caminho na competição. Naquela partida, Pelé foi "ferozmente" marcado e foi alvo de algumas faltas.

Morais, um dos responsáveis pela marcação, foi também responsável pelo derradeiro lance que tirou Pelé da partida. Ali ficou um estigma de que Eusébio teria ido falar com Morais após o lance para defender Pelé. Não é verdade. Em entrevista ao referido site acima, Eusébio lembra que não ficou chateado com o seu companheiro de equipa. Para ele, claro, Pelé era um adversário mas também um amigo. Eusébio recorda-se de que Pelé já estava ligeiramente lesionado antes da partida e não tinha condições de jogar aquela partida. Para ele, o único objetivo pelo qual Pelé entrou em campo foi para “assustar” os portugueses. O "Rei" reafirma que não disse nada a Morais, só mostrou apoio a Pelé e nada mais.

Eusébio consola Pelé, sem condições de jogo na Inglaterra

2014 foi o ano em que o mundo perdeu Eusébio. Mas ele nunca será esquecido pelas suas conquistas, dentro e fora de campo.

A pessoa morre, mas o seu legado permanecerá em nossos corações para sempre.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


um passado de glória um futuro de vitória benfica




twiiter

# Classificação 2017/18




# Universo Benfiquista











titulos GLORIAS ETERNAS

eusébio
Mario Coluna








Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


CONTACTO emailsilva.joaodiogo@hotmail.com