Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O Mundo de pernas para o ar!

por João Silva, em 17.05.12

Primeiro foi o tira-e-põe do FC Porto na Liga dos Campeões, quando tinha uma condenação em Portugal por corrupção desportiva. Depois foi a inacreditável arbitragem do norueguês Ovrebo num Chelsea-Barcelona. Recentemente, a actuação de Damir Skomina (convocado para o Euro) no Chelsea-Benfica. Agora, a nomeação de Pedro Proença para a final da Champions. Pelo meio, a escolha de Olegário Benquerença como árbitro de elite, e também o caso Nuno Assis, entre outros episódios mais ou menos rocambolescos.


Se das instituições que tutelam o futebol português já se sabia que não poderíamos esperar nada que não incompetência, iniquidade e manipulação, ao futebol europeu, também a máscara de rigor e isenção já caiu de vez. Se por cá reina a mentira, por lá a seriedade não abunda. Lamento, pelo futebol que adoro, e que gostaria de ver tratado com respeito. Mas não me surpreende, numa Europa em que já não acredito - nem estimo -, e em instâncias que contam com figuras sinistras como António Garrido, Domingos Gomes ou Guilherme Aguiar entre os seus colaboradores.


Pedro Proença está ligado a alguns dos maiores escândalos de arbitragem no futebol nacional dos últimos anos: Boavista-Benfica 2001-02, Benfica-Sporting 2003-04, Penafiel-Benfica 2004-05, Benfica-Belenenses 2005-06, FC Porto-Sporting 2007-08, FC Porto-Benfica 2008-09, Nacional-Benfica 2010-11, Sp.Braga-Benfica 2011-12, Benfica-FC Porto 2011-12, Nacional-Sporting 2011-12 e FC Porto-Sporting 2011-12, para mencionar apenas aqueles que a minha memória imediata indica. É um árbitro habilidoso, manhoso, vaidoso, e que, desde que anda por aí, se vai entretendo a gozar com milhões de portugueses (excepto eventualmente com aquele que o chamou à razão, em pleno Centro Comercial Colombo).


A sua nomeação para a final da Champions é a prova de que o rei vai nu. É um ultraje, para todos quantos seguem o nosso Campeonato com atenção. É uma vergonha para o próprio futebol. É uma mancha na história da principal competição europeia de clubes.


Não alinho em hipocrisias, nem em patrioteirismos baratos. Gosto de ver os impostores desmascarados, e desejo que Pedro Proença, no sábado, mostre aquilo que é, e que por cá bem conhecemos.

 

Luis Fialho, Vedeta da Bola

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Autoria e outros dados (tags, etc)


O peixe geralmente morre pela boca...

por João Silva, em 22.12.11

...digo geralmente porque nem sempre acontece assim.

Literalmente, o peixe morre pela boca porque para comer a isca acaba por ficar preso no anzol.
Metafóricamente, significa que é melhor ficar de boca fechada, quando não se tem nada inteligente a dizer.
As pessoas sao donas dos seu pensamentos, embora antes de falar deveriam pensar muito bem no que vâo dizer, para não correrem o risco de serem ridicularizadas.

Isto a propósito das últimas declarações do Corrupto-Mor, Presidente do FCPorto, em que supostamente o seu clube foi prejudicado pelo árbitro na última partida para o Campeonato.

Estas declarações não surgem inocentemente neste momemto, que diga-se de passagem, não é de todo novidade.

O seu clube nem de longe, nem de perto, está ao nível da época passada; eliminado prematuramente da Champions League, bem como, da Taça de Portugal, e no Campeonato Nacional reparte a liderança com o Benfica, a duas jornadas do fim da primeira volta, com uma deslocação ao "renascido" SCPortugal, onde se pode começar a definir os verdadeiros candidatos ao título.

Vejamos então, as razões de queixa que o Corrupto-Mor tem em relação às arbitragens esta época:

1ª JORNADA, V.Guimarães-FC Porto, 0-1 (Olegário Benquerença)
Penálti muito duvidoso deu o único golo do jogo; mão de Rolando na área, não sancionada, nos instantes finais

2ª JORNADA, FC Porto-Gil Vicente, 3-1 (Rui Silva)
Expulsão poupada a Otamendi logo aos 2 min; penálti inexistente deu o empate; penálti por marcar, cometido por Sapunaru, já na segunda parte.

3ª JORNADA, U.Leiria-FC Porto, 2-5 (João Capela)
No lance do terceiro golo, James parte em fora-de-jogo

4ª JORNADA, FC Porto-V.Setúbal, 3-0 (Marco Ferreira)
Primeiro golo precedido de falta de Belluschi sobre Nuno Amaro; fora-de-jogo mal tirado a João Silva

5ª JORNADA, Feirense-FC Porto, 0-0 (Bruno Esteves)
Penálti por assinalar por rasteira de Belluschi; amarelo por mostrar a Fucile.

8ª JORNADA, FC Porto-Nacional, 5-0 (Cosme Machado)
Dois golos fora-de-jogo (2º e 5º), outro precedido de livre marcado ao contrário (3º); penálti por assinalar por falta de Álvaro Pereira sobre Mateus mesmo no final da primeira parte; fora-de-jogo mal tirado a Rondon.

9ª JORNADA, FC Porto-P.Ferreira, 3-0 (Hugo Miguel)
Cartão amarelo poupado a Sapunaru

11ª JORNADA, FC Porto-Sp.Braga, 3-2 (Soares Dias)
Expulsão poupada a Álvaro Pereira logo nos primeiros minutos; fora-de-jogo mal tirado a Lima

12ª JORNADA, Beira Mar-FC Porto, 1-2 (Carlos Xistra)
Primeiro golo do FC Porto irregular, com Hulk, em fora-de-jogo, com influência no lance; segundo amarelo poupado a Hulk por simulação na área; fora-de-jogo mal tirado a Balboa

(análise das jornadas feita by "Vedeta da Bola")

Resumindo:
Em nove das treze jornadas, o FC Porto beneficiou de erros de arbitragem mais ou menos graves. É tão habitual que nem se nota.
Mas não deixa de ser interessante, ou não, que estes mesmos árbitros, em poucas semanas, deixaram de ser uns verdadeiros heróis.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Contra a corrupção desportiva

por João Silva, em 14.01.11

 

O portal mentiradesportiva.com é formado por um grupo de adeptos de futebol, que encontrou um tema de discussão quase sempre ocultado nos órgãos de Comunicação Social e nos programas sobre desporto: a corrupção.

Este tema deve estar na ordem do dia e na agenda de quem pretende um futebol limpo. Silenciar é esquecer. Esquecer é apagar. Apagar é absolver. Não podemos absolver quem já foi condenado com penas de corrupção e... decidiu não recorrer.

Pretendemos compilar dados históricos que provam anos e anos de corrupção. Corrupção impune, que desvirtuou o futebol português e europeu ao longo de décadas. Vamos recortar trechos da história, distribuída em diversas publicações, para desmascarar o maior mito do mundo: a grandeza de um clube corrupto.

Os adeptos olham para dentro do relvado, mas é do lado de fora que se decide o resultado. Vamos mostrar o lado de fora: os métodos batoteiros e a sapiência em lidar com a Justiça, sempre muito amiga de quem corrompe. É essa a missão desta página.

Serão reunidas provas reais de que o FC Porto é um clube corrupto. Vamos vasculhar o baú das memórias e (re)provar a Mentira Desportiva do reinado de Pinto da Costa. A teia do sistema, os esquemas, as alianças, os árbitros preferidos, a podridão de um clube com dezenas e dezenas de títulos ocos.

 

www.mentiradesportiva.com

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Milagre da multiplicação à moda do Porto

por João Silva, em 05.11.10

 

A actual classificação não está assente na verdade desportiva, mas sim nos erros capitais das arbitragens que continuam a beneficiar o clube do “sistema”.
As contas são simples – os sete pontos que o FC Porto (25) possui de vantagem em relação ao Benfica (18) estão assentes em benefícios que teve nas primeiras jornadas e em claros prejuízos que o Campeão Nacional sofreu no arranque da época.
Ao todo podemos contar SETE! pontos em que o FC Porto foi claramente beneficiado.

 

OS “MILAGRES” DA CALCULADORA AZUL:

 

1.ª JORNADA: NAVAL – FC PORTO, 0-1 (+2 PONTOS)
PAULO BAPTISTA (PORTALEGRE)
82’ – Jonathas (Naval) joga a bola involuntariamente com a mão em plena grande área. Pénalti mal assinaldo.

 

3.ª JORNADA: RIOAVE – FC PORTO, 0-2 (+2 PONTOS)
JORGE SOUSA (PORTO)
22’ – No golo inaugural de Hulk ficou claramente uma falta por assinalar de Falcao, em posição de fora-de-jogo, que afastou Milhazes (Rio Ave). Golo mal validado.
38’ – Num lance escandaloso na área do FC Porto, Álvaro Pereira fez duas falta à margem das leis. Penálti por assinalar.

 

4.ª JORNADA: FC PORTO – SP. BRAGA, 3-2 (+2 PONTOS)
PEDRO PROENÇA (LISBOA)
90’ – Belluschi desviou na grande área Paulo César (Sp. Braga) de poder jogar a bola convenientemente e rematá-la para a baliza. Pénalti por assinalar.

 

5.ª JORNADA: NACIONAL – FC PORTO, 0-2
BRUNO PAIXÃO (SETÚBAL)
21’ – Rolando toca de forma liberada com a mão na bola dentro da grande área. Penálti por assinalar.


7.ª JORNADA: V. GUIMARÃES – FC PORTO, 1-1 (+1 PONTO)
CARLOS XISTRA (CASTELO BRANCO)
54’ – Fucile agarra a camisola de Edgar (Guimarães) ostensivamente em plena grande área e fá-lo cair. Penálti por assinalar.

 

9.ª JORNADA: ACADÉMICA – FC PORTO, 0-1
DUARTE GOMES (LISBOA)
74’ – Hélder Cabral (Académica) foge do contacto com a bola na área,com esta a tocar involuntariamente no braço. Penálti mal assinalado.

 

As contas são claras: só em benefícios directos o FC Porto soma mais sete pontos (os mesmos que possui a mais que o Benfica) do que verdadeiramente merecia. A calculadora azul está a trabalhar e a operar o milagre da multiplicação. Mais um sério aviso para o “clássico” do próximo domingo.

 

Fonte: Jornal "O Benfica"

Autoria e outros dados (tags, etc)


Totós submissos

por João Silva, em 01.11.10

 

 

Quando, em 2005, Dias da Cunha e Luís Filipe Vieira assinaram um manifesto com vista à regeneração do futebol português, abriu-se uma janela de esperança num novo tempo, num tempo a partir do qual os jogos pudessem passar a ser decididos no relvado, exclusivamente pelo talento dos jogadores e pela argúcia dos técnicos. Mais do que o texto em causa, o entendimento entre os dois grandes clubes do arco da respeitabilidade era, por si só, um passo de gigante no derrube de uma ordem já na altura decrépita. O então presidente do clube de Alvalade denunciara corajosamente os rostos do “sistema”, atribuindo a menção a Valentim Loureiro e Pinto da Costa, antes mesmo do processo “Apito Dourado” ter vindo a público.
Sabia bem do que falava, como mais tarde se veio a verificar, e ouvir.
Com o presidente portista detido para interrogatórios (depois de uma mal explicada fuga para Espanha), com os rivais lisboetas sentados á mesa, o chamado “sistema” vivia os seus piores dias. O futebol português esperava, enfim, poder respirar o ar puro da verdade, da justiça e do desportivismo.
Os seus mais malignos cancros pareciam estar prestes a ser extraídos. Era a oportunidade histórica para uma enérgica e radical limpeza, para uma varridela que afastasse para longe a corrupção, o tráfico de influências e os resultados adulterados.

Nada disto viria a acontecer. Em larga medida por culpa de um sistema de justiça assustadoramente incapaz, mas também devido aos caminhos que o Sporting (potencial aliado nessa importante batalha) escolheu encetar daí em diante.
Envolvido por um denso manto de contestação, Dias da Cunha viu-se obrigado a desistir. Mais do que nos resultados desportivos, não duvido que a origem da animosidade dos sócios tenha residido no tal manifesto. A maioria deles não se revia numa política que pusesse o Sporting de braço dado com o seu histórico rival. Interessava-lhes, no fundo, acima de tudo, ver o Benfica perder, e desse ponto de vista afundar do barco de Pinto da Costa não parecia uma boa ideia. Se as escutas do “Apito Dourado” envolvessem o Benfica, a atitude do mundo sportinguista teria sido seguramente bem diferente. Mas era o FC Porto e Pinto da Costa que estavam em tribunal. Eram aqueles que – não interessava como – tinham impedido o Benfica de festejar vários campeonatos. Era o seguro de vida do antibenfiquismo que estava em equação.
Quatro títulos do FC Porto, dois títulos do Benfica, e zero títulos do Sporting depois, percebem-se, com clareza, os resultados concretos dessa postura tão pouco leonina.
Quando vemos sportinguistas fazer coro com a estratégia de silenciamento das escutas e de tudo o que elas nos mostram, percebemos que jamais será possível contar com aquela gente para qualquer combate sério. Nem as boas intenções de alguns dos seus responsáveis (como foi o caso de Dias da Cunha) chegam para derrubar uma ideia por lá cristalizada, segundo a qual o Benfica foi, é, e sempre será, o único alvo a abater – transformando,por consequência, o FC Porto, mais num privilegiado parceiro do que num antagonista ou rival.
Quando, depois de tudo o que se passou, e de tudo o que se ouviu, vemos José Eduardo Bettencourt receber, de braços abertos, Pinto da Costa na tribuna de honra de Alvalade, perdemos de vez o respeito por um clube que, em bicos de pés, tantas vezes se afirma como baluarte da honorabilidade.

Quando assistimos à transferência de Moutinho para o Dragão, e sobretudo observamos a complacência com que a mesma foi acolhida entre os adeptos, entendemos por fim o grau de subserviência de um Sporting decadente face a um FC Porto revitalizado nas águas da impunidade e da mistificação.
Este Sporting até pode ser divertido para muita gente. A nós não nos serve para nada, e esperar dali algum apoio para a suprema luta pela verdade no desporto português será como esperar que cresçam dentes a uma galinha.
Diverte o sistema, sem qualquer outra utilidade!

 

Fonte: Adaptação de um texto publicado no jornal "O Benfica"

Autoria e outros dados (tags, etc)


Utopia? Talvez...

por João Silva, em 23.10.10

Autoria e outros dados (tags, etc)











Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Após a divulgação do comunicado através do site do SLB (ler na íntegra), quero destacar alguns aspectos essenciais:

 

(...) O Benfica agirá sempre no estrito cumprimento da lei, não estando disponível para trilhar caminhos sinuosos que outros percorreram sem problemas de consciência e sem reparo ou castigo da justiça.

Se for outro caminho que os benfiquistas querem seguir, então estes órgãos sociais não servem. No nosso mandato não vamos montar uma estrutura organizada à margem da lei, nem um modelo de violência e intimidação de agentes desportivos ou jornalistas. Essa não é a nossa postura, nem a nossa forma de agir. Ganhar dessa forma é apenas alimentar uma mentira.

Da reunião do plenário dos órgãos sociais do Sport Lisboa e Benfica foram assumidas as seguintes orientações:

a) Reafirmar a total confiança do Clube nos seus atletas e na sua equipa técnica, e a garantia de que ninguém vai desistir dos objectivos propostos no inicio da presente temporada. Resistir é próprio dos que nesta casa se bateram e continuarão a bater pela verdade no futebol português.

 

A falta de credibilidade que está a atingir a arbitragem enfraquece o futebol e só quem não está preocupado com o futebol pode estar satisfeito com a presente situação. Não é ilibando, nem protegendo aqueles que reiteradamente erram que se protege o futebol. Há quem veja e queira fazer-se de cego. A esses, essa cegueira tem de custar-lhes caro.

O futebol protege-se agindo, assumindo as medidas necessárias para que a transparência regresse à nossa arbitragem. Quem tem responsabilidades perante a actual situação tem de se fazer ouvir.

O futebol não é viável sem verdade e sem acções. O senhor Vítor Pereira deve pronunciar-se sobre o que se passou, sobre o que pensa fazer para o futuro e sobre o entendimento que tem – na forma e no tempo - sobre a homenagem promovida no dia 5 de Setembro, pela Associação de Futebol do Porto, ao senhor Olegário Benquerença.

Citando o Presidente da UEFA, Michel Platini “os árbitros incompetentes devem ser varridos do futebol”. Pela nossa parte, acabou a tolerância com árbitros incompetentes ou habilidosos.

Cada um deve assumir as suas responsabilidades e o senhor Vítor Pereira tem a obrigação de garantir condições de igualdade nos critérios e na acção dos árbitros a todos os clubes em Portugal. Algo que até aqui não aconteceu.

b) Compreendemos e associamo-nos ao movimento de indignação que desde sexta-feira varre o país. Face à adulteração da verdade desportiva, queremos pedir aos sócios e adeptos do Benfica que continuem a apoiar, de forma inequívoca e sem reservas, a equipa nos jogos que o Benfica realiza no Estádio da Luz, mas que se abstenham de se deslocar aos jogos fora de casa.

 

A equipa já sabe que vai ter de lutar contra muitas adversidades, algumas previstas, outras totalmente imprevistas - já o sentiu neste início de época - e vai conseguir superá-las, mas os sócios e adeptos do Sport Lisboa e Benfica não devem continuar a ser lesados económica e emocionalmente.

A nossa ausência será o melhor indicador da nossa indignação.

 

f) Solicitar ao Senhor Ministro da Administração Interna uma audiência para debater a violência de que a equipa do Benfica tem sido alvo cada vez que se desloca ao Porto. Não queremos confundir as gentes do Porto – que seguramente não se revêem neste tipo de comportamento – com um grupo de delinquentes que organizada e reiteradamente e de forma impune têm vandalizado o autocarro do Benfica e atentado contra a integridade física dos seus atletas.

g) Declarar o Secretário de Estado ‘persona non grata’ pelo trabalho que prestou ao futebol português. Abandonou a anterior Direcção da Liga no seu combate pela credibilização do futebol português, alheou-se – por completo – do processo “apito Dourado”. É, ainda, o responsável por nada fazer para aplicar a lei, pelo que a arbitragem e a Comissão Disciplinar continuam na Liga, quando já deviam estar na Federação Portuguesa de Futebol desde 1 de Julho.

Para além de tudo isto, lamentar as declarações desrespeitosas que o Secretário de Estado teve para com o Sport Lisboa e Benfica e que branqueiam o comportamento daqueles que adulteram a verdade desportiva.

Quem se demite das suas responsabilidades, deve saber que isso tem consequências.

Queremos concluir dizendo que compete aos benfiquistas defender o Benfica e apelando a todos para amanhã, no nosso estádio, darmos uma grande demonstração da nossa força e da nossa união.

Autoria e outros dados (tags, etc)


É hora de dizer basta!

por João Silva, em 13.09.10

 

O futebol Português está podre, é um FACTO incontornável!

 

Jogos de bastidores, movidos com base em influências instituidas, entre a FPF e a LPF, que vão sendo alicerçados pela comunicação social, manietada por esses mesmos interesses, com a conivência do Estado.

 

Vamos continuar a assistir à estratatégia que tem dominado o cenário futebolístico nos últimos vinte e tal anos, com um único propósito:  Enfraquecer a maior instituição do País - Sport Lisboa e Benfica - e favorecer um clube regional do norte?

 

É hora de dizer basta!

 

De que serviu o processo "apito dourado"? para nada! Ou melhor, serviu para mostrar a impunidade que existe em relação a estes CRIMES, dando mais força para a sua continuidade! Esta é a realidade.

 

Vamos voltar a assistir a esta roubalheira novamente?? Eu estou farto!!!!

 

CHEGOU A HORA DE NOS UNIRMOS TODOS!!!
VAMOS ACABAR COM A POUCA VERGONHA!!

 

O Objectivo está definido: O SLB não pode voltar a ser campeão nacional!

 

Temos que nos indignar e a nossa Direcão tem que adoptar uma politica de afrontamento a estes interesses...temos que, de uma vez por todas, mostrar a nossa força em termos de Instituição, somos o Clube que permite que esta "pseudo-liga" sobreviva do ponto de vista financeiro!


É HORA DE DIZER BASTA!

Autoria e outros dados (tags, etc)


um passado de glória um futuro de vitória benfica




twiiter

# Classificação 2017/18




# Universo Benfiquista











titulos GLORIAS ETERNAS

eusébio
Mario Coluna








Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


CONTACTO emailsilva.joaodiogo@hotmail.com