Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Taça da Liga: Jardel e Fejsa convocados

por João Silva, em 20.09.17

Jardel e Fejsa estão de regresso à convocatória do Benfica, divulgada esta quarta-feira, no dia em que as águias defrontam o Sp. Braga para a Taça da Liga.

O central brasileiro e o médio sérvio tinham ficado de fora dos últimos jogos dos encarnados, devido a lesão, mas regressam às opções de Rui Vitória.

Em sentido inverso, Salvio ficou fora das opções. O extremo argentino tinha saído lesionado do jogo no Bessa, diante do Boavista, sendo logo rendido por Rafa. 

Lisandro López também é ausência notada na lista, ele que já tinha ficado fora da ficha de jogo com os axadrezados devido a gripe. 

De fora continua Douglas, reforço contratado no último defeso ao Barcelona.

Benfica e Sp. Braga defrontam-se esta noite (21h15), no Estádio da Luz.

Lista de 20 jogadores:

Guarda-redes: Júlio César, Bruno Varela;

Defesas: André Almeida, Luisão, Jardel, Rúben Dias, Grimaldo e Eliseu;

Médios: Fejsa, Samaris, Filipe Augusto, Krovinovic, Pizzi, Cervi, Rafa e Zivkovic;

Avançados: Jonas, Seferovic, Raúl e Gabriel.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Benfica e Sp. Braga estão no mesmo grupo da fase de grupos da Taça da Liga, segundo ditou o sorteio realizado nesta quinta-feira. Sporting é o cabeça de série no Grupo B, tal como o V. Guimarães no C, onde defronta o Moreirense, atual detentor do troféu, e o FC Porto no D.

Esta fase de grupos tem três jornadas e passam à Final Four, que se joga de 23 a 27 de janeiro em Braga, os primeiros de cada grupo. De acordo com o sorteio, o vencedor do Grupo A defrontará na meia-final o vencedor do Grupo C, enquanto o Grupo B cruza com o D. Portanto, Sporting e FC Porto podem defrontar-se antes da final, mas o Benfica, se passar em primeiro, não encontrará outro dos «grandes» nessa fase.

A grelha do sorteio ditou também que na primeira jornada o cabeça de série de cada grupo joga em casa com a equipa do Pote 2. Portanto, a primeira jornada terá Benfica-Sp. Braga, Sporting-Marítimo, V. Guimarães-Feirense e FC Porto-Rio Ave.

 

Os grupos da Taça da Liga 2017/18:

Grupo A

Benfica

Sp. Braga

V. Setúbal

Real*

Grupo B

Sporting

Marítimo

Portimonense*

U. Madeira

Grupo C

V. Guimarães

Feirense

Moreirense

UD Oliveirense

Grupo D

FC Porto

Rio Ave

Paços Ferreira

Leixões

Calendário do Benfica nesta terceira fase:

1ª jornada
Benfica-Sp. Braga
Real Massamá-Vitória Setúbal

2ª jornada
Benfica-Real Massamá
Vitória Setúbal-Sp. Braga

3ª jornada
Vitória Setúbal-Benfica
Sp. Braga-Real Massamá 

 

Recorde-se que existe um processo em curso em que o Real Massamá é acusado de inscrição irregular de um jogador e, caso seja condenado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, o seu lugar no Grupo A será ocupado pelo Portimonense.

O Benfica tem sido o grande dominador da competição com sete triunfos. Moreirense, que venceu na última temporada, eliminando precisamente os encarnados nas meias-finais, Vitória de Setúbal e Sp. Braga apresentam um título cada um.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Taça CTT Final Four

por João Silva, em 25.01.17

Taça_CTT_Final_Four.jpg

Líder do campeonato, semi-finalista da Taça de Portugal e presente nos oitavos de final da Liga dos Campeões, o Benfica é o favorito ao triunfo na 10.ª edição da Taça da Liga em futebol, que se decide numa inédita ‘final four’, no Algarve.

Vencedor da prova em 2009, 2010, 2011, 2012, 2014, 2015 e 2016, o Benfica chega ao Algarve com aspirações de chegar à sua 8.ª final nesta competição. Mas para tal acontecer, o Benfica tem de superar primeiro o Moreirense, equipa que esta época já venceu por 3-0, na Luz, em encontro a contar para a I Liga.

Caso cheguem à sua oitava final, as águias encontrarão uma das outras equipas que já conquistaram esta competição, ou o Vitória de Setúbal, vencedor da primeira edição (2007/08), ou o Sporting de Braga, que ganhou em 2012/13.

O jogo do Benfica-Moreirense decorre na próxima quinta-feira, às 20h45, e o jogo Vitória de Setúbal-Sporting de Braga decorre esta quarta-feira, à mesma hora. A final da competição disputa-se no próximo domingo, às 20h45, no Estádio do Algarve.

Segundo os responsáveis da Liga irão existir várias atividades paralelas durante esta semana, do qual se destacam o Jogo das Lendas, onde estarão presentes antigos internacionais portugueses, e a Corrida do Adepto, aliando o desporto da corrida ao futebol, na zona do Algarve. Os bilhetes para os jogos da Taça da Liga terão o custo de cinco euros.

A competição terá também uma fan zone, onde irão decorrer concertos de Jimmy P e dos Capitão Fausto, numa tentativa de atrair os adeptos à zona de Faro e de Loulé, cidades que irão acolher os jogos da final four.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

O Benfica isolou-se no comando do campeonato ao receber e vencer o Sporting de Braga por 3-1, no encontro que encerrou a quinta jornada da prova. A equipa de Rui Vitória foi para intervalo a vencer com um golo de Mitroglou e no segundo tempo foi Pizzi a fazer o 2-0 aos 74 minutos. O 3-0 foi construído por Pizzi e assinado por Mitroglou aos 78 minutos enquanto que Rosic fechou o marcador aos 90 minutos.

Benfica-Braga-LIGA-NOS-201617.jpg

Na ressaca dos empates europeus a 1-1, Benfica e SC Braga apresentaram-se na Luz para fechar a quinta jornada com a liderança isolada em disputa. Rui Vitória trocou de guarda-redes e lançou Mitroglou. Com uma moldura humana de 52181 espectadores, o primeiro lance de perigo surgiu logo no primeiro minuto com Mitroglou a rematar com muito perigo junto ao poste da baliza de Marafona. O SC Braga reagiu e dois minutos depois foi Hassan a provocar o primeiro calafrio na Luz. A equipa de José Peseiro foi à Luz sem complexos e aos cinco minutos valeu ao Benfica uma sólida intervenção de Júlio César a evitar o golo a Pedro Santos. Antes do intervalo, Mitroglou mostrou uma eficácia letal, e com um remate certeiro, aos 27 minutos, colocou o Benfica na frente do marcador.

Benfica_Braga_2016_1.jpg

A fechar a primeira parte, o SC Braga esteve novamente perto do golo, mas Júlio César mostrou-se 'imperativo' diante do perigo. Depois de uma primeira parte disputada com espaço, o segundo tempo acabaria por revelar-se cruel para os minhotos e eficaz para os 'encarnados'. Aos 74 minutos, um corte de Douglas Coutinho permitiu a Pizzi fazer o 2-0 perante o protesto dos jogadores do SC Braga, que consideraram o lance irregular alegando ter sido um 'ressalto' e não 'atraso' para o guarda-redes. Na sequência do golo, e dos protestos no banco técnico do SC Braga, José Peseiro acabaria por receber ordem de expulsão. Pouco depois da expulsão do técnico 'minhoto', Pizzi e Mitroglou construíram o 3-0 e praticamente selaram o destino final do jogo.

Benfica_Braga_2016_2.jpg

Apesar do futebol positivo do SC Braga, a eficácia do Benfica acabou por revelar-se determinante para garantir os três pontos e ascender à liderança do campeonato com 13 pontos. Momento do jogo O golo de Pizzi aos 74 minutos acabou por ser determinante no resto do jogo uma vez que colocou o Benfica em vantagem com dois golos de diferença, por um lado, e por outro acabou por influenciar a expulsão de José Peseiro no banco técnico do SC Braga.

Destaque ainda para a estreia do menino José Gomes, com apenas 17 anos, no Estádio da Luz, com o Manto Sagrado… e esteve tão perto de marcar (84’).

O Benfica alinhou de início com Júlio César; Nélson Semedo, Lisandro, Lindelof e Grimaldo; Fejsa (André Almeida, 89’), André Horta, Pizzi e Salvio (Carrillo, 66’); Mitroglou (José Gomes, 82’) e Gonçalo Guedes.

Benfica_Braga_2016_3.jpg

Os melhores

Mitroglou - O avançado grego esteve desde o primeiro minuto de jogo com o golo nos pés e acabou por bisar no seu regresso à equipa depois de uma lesão. O gesto técnico no primeiro golo é um autêntico cartão de visita para a definição de avançado eficaz.

Pizzi - Com um golo e uma assistência, Pizzi foi um dos jogadores determinantes na vitória do Benfica sobre o SC Braga.

Júlio César - Há defesas que podem influenciar o rumo de um jogo, e neste jogo Júlio César esteve na base da conquista dos três pontos com um conjunto de intervenções técnicas e cirúrgicas dignas da alcunha de 'Imperador'. Marafona - O guarda-redes do SC Braga voltou a ser titular e provou no Estádio da Luz os seus créditos com um conjunto de intervenções monumentais e determinantes para segurar a indefinição no marcador.

No próximo fim de semana o Glorioso viaja até ao Estádio Municipal de Chaves para disputar a 6.ª jornada da Liga NOS. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Benfica venceu o SC Braga por 3-0 na discussão do primeiro troféu oficial da temporada 2016/2017.

A 6.ª Supertaça Cândido de Oliveira voou para a Luz!

Supertaça1.jpg

Num Estádio Cidade de Aveiro pintado de vermelho - onde marcaram presença 21.796 espectadores -, entrada fortíssima da equipa de Rui Vitória. De um lado, o Tricampeão Nacional em busca da sexta Supertaça do palmarés, do outro o detentor da Taça de Portugal à procura do primeiro troféu da história do clube.

Para este jogo, Rui Vitória apostou nos reforços André Horta e Franco Cervi. Aos 5’, a primeira ocasião. Jonas é agarrado dentro da área mas João Capela nada assinala.

Aos 10’, melhor estreia era impossível. Jogada magistral do argentino Franco Cervi, que passou por três adversários e rematou com o pé direito para o 1-0.

As oportunidades multiplicaram-se durante a primeira meia hora, com um SL Benfica avassalador a criar facilmente ocasiões de golo. Marafona negou o golo a Grimaldo e depois foi o poste a negar o golo a Nélson Semedo.

O SC Braga só equilibrou depois da meia hora. Nesse período teve boas hipóteses de marcar mas nunca acertou com o alvo. Júlio César, sempre seguro, negou o golo aos minhotos em várias ocasiões.

A confirmação

Reinício da partida sem mexidas nos onzes iniciais. Jonas voltou a cair à entrada da área e ficou a reclamar falta, mas João Capela mandou seguir jogo. Fica a dúvida...

No segundo tempo, um SC Braga mais atrevido em busca do empate. Às investidas de Rafa, valeu o brasileiro Júlio César.

75 minutos e golo de Jonas! Brilhante passe de Pizzi, que isolou o avançado brasileiro na área. Jonas rematou colocado e sem hipóteses de defesa para Marafona. Estava feito o 2-0. 

A fechar a partida, já dois minutos para além do tempo regulamentar, Pizzi rematou para o 3-0 com um chapéu a Marafona. Estava conquistada a sexta Supertaça do palmarés do Sport Lisboa e Benfica.

Supertaça2.jpg

Alinharam de início: Júlio César; Nélson Semedo, Luisão, Lindelöf e Grimaldo; Pizzi, Fejsa, André Horta e Cervi (87’ Salvio); Jonas (78’ Samaris) e Mitroglou (68’ Raúl).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Antevisão ao jogo com o Braga

por João Silva, em 01.04.16

Benfica_Braga.jpg

Esta sexta-feira, que marca o arranque da 28.ª jornada da Liga, irá opor o melhor ataque do Campeonato que pertence ao Benfica, com 71 golos, à segunda melhor defesa. Os bracarenses sofreram 22 tentos na prova.

Na caminhada final rumo ao TRInta e cinco, este será seguramente um dos dois jogos mais duros dos sete que faltam: o outro é em Vila do Conde.
A vitória arrancada a ferros no Bessa ameaçou, mas não atingiu o Benfica, que mantém a liderança com mais dois pontos do que o 2.º classificado.

Fejsa e Gaitán estão de regresso aos convocados, depois de terem estado lesionados e não terem, por isso, sido opção no jogo no Bessa.
Quem também está de volta é Jardel e Mitroglou que também não foram opção no jogo com o Boavista por castigo.

A formação de Paulo Fonseca regressa a Lisboa, onde há cerca de três semanas averbou uma das piores derrotas da época: 0-3 com o Belenenses. Depois disso porém a equipa já eliminou o Fenerbahçe da Liga Europa, com uma grande vitória, e já bateu o União da Madeira, retomando o caminho dos bons resultados que têm sido a norma esta época.

Rui Vitória, na antevisão a esta partida, afirmou que «É um jogo difícil porque o adversário tem feito um bom campeonato e tem uma boa equipa. Joga com o Benfica, e isso traz um acréscimo de motivação. Mas todos os jogos vão ser complicados e isso não muda em nada o objetivo: ganhar. Amanhã é mais uma final. Queremos ganhar, respeitando o adversário, mas acreditando no que fazemos.»

Não vai ser fácil, mas é fundamental e "obrigatório" ganhar hoje ao Braga. Apoio nas bancadas não vai faltar.

Carrega Benfica, rumo ao 35!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Benfica impôs a primeira derrota caseira ao Sp. Braga nesta época e somou os três pontos.

Se havia um jogo importante para o Benfica neste momento, era este. Estando certamente cientes da necessidade de somar os três pontos, os comandados de Rui Vitória acabaram por corresponder e 'arrumaram' com a questão no primeiro quarto de hora.

Rui Vitória sai deste encontro valorizado, porque as opções que tomou revelaram-se acertadas. A dupla Fejsa/Renato Sanches foi um sucesso, com o 'miúdo' do Seixal a passear classe no transporte da bola.

SCBraga_SLBenfica_2.JPGPara quem ficou com dúvidas no jogo de Astana sobre a capacidade do jovem, o jogo de ontem dissipou-as. O ataque ficou entregue em exclusivo a Mitroglou, que logo aos três minutos da partida trabalha bem na área e, de calcanhar, oferece o primeiro golo a Pizzi que, vindo de trás, remata sem hipóteses.

SCBraga_SLBenfica_5.jpg

Oito mintuos depois, canto cobrado na esquerda por Pizzi com a dupla de centrais do Glorioso a construir o 0-2. Jardel assiste Lisandro – grande receção – e remate de primeira (à ponta de lança) a desfeitear as redes minhotas.

SCBraga_SLBenfica_6.jpg

Com uma vantagem de dois golos, o Benfica geriu e controlou com qualidade, espreitando com perigo sempre que possível as redes contrárias; do outro lado, os anfitriões, que até esta segunda-feira se mantinham invencíveis na Pedreira, bem tentaram inverter o marcador mas, face a um coletivo maduro e coeso, viram os seus intentos gorados!

Vitória justa de uma equipa confiante, com um triunfo de qualidade frente a um adversário forte.

Com este resultado, e menos um jogo, o Benfica ultrapassa o Sp. Braga e sobe ao 3.º lugar da tabela classificativa.

O SL Benfica alinhou de início com Júlio César; André Almeida, Jardel, Lisandro e Eliseu; Fejsa, Renato Sanches, Pizzi (Cristante, 88’), Nico Gaitán e Gonçalo Guedes (Jonas, 72’); Mitroglou (Raúl Jiménez, 64’).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Benfica, 9 - SP. Braga, 0

por João Silva, em 17.12.14

yauca.jpg

A já longínqua época de 1964/65 ficou marcada pelo primeiro jogo entre Benfica e Sp.Braga para a Taça de Portugal, disputado no Estádio da Luz. Depois de um confortável triunfo por 4-1, no Minho, no encontro da 1.ª mão, as águias, então orientadas pelo romeno Elek Schwartz, entravam em ação na segunda partida com um pé na final.

Entre as estrelas da companhia, Eusébio, Coluna, José Augusto ou Simões, foi Yaúca quem se destacou no duelo disputado a 27 de junho de 1965, com três golos na goleada por 9-0 aplicada ao Sp.Braga. “Foi ele mesmo com toda a irreverência e alegria do seu jogo, desbobinando uma série de jogadas e fazendo um punhado de remates que mostram a sua utilidade e que é, ainda, um jogador de real nível”, escrevia Record na apreciação individual do avançado.

Curiosamente, a preparação dos encarnados para o duelo com os minhotos foi algo atribulada. Três dias antes, Portugal e Brasil defrontaram-se no Estádio das Antas (0-0), o que fez com que Elek Schwartz não pudesse contar com vários elementos da equipa. “Com a maioria dos jogadores ao serviço da Seleção Nacional, Elek Schwartz (que não viu o Portugal-Brasil) quase não teve gente para treinar”, escrevia o nosso jornal.

Certo é que, depois de ter aplicado uns expressivos 9-0, o Benfica recebeu o Sp.Braga em mais três ocasiões, na Taça de Portugal, e saiu vitorioso de todas elas: 3-1 em 1965/66 e 1988/89 e 2-0 em 2010/11, já sob os comandos de Jorge Jesus.

Fonte: Jornal Record

Autoria e outros dados (tags, etc)


SL Benfica 1-0 SC Braga

por João Silva, em 24.11.13

Numa partida que começou apática, notou-se um estudo mútuo entre as duas equipas dificultando algum rasgo que pudesse existir nos artistas de cada um dos lados. O pontapé no marasmo que assolou os primeiros minutos no relvado da Luz foi dado por Éder. O avançado rematou forte à barra da baliza do Benfica , sendo que Artur ainda lhe tocou.

Este lance mexeu com os jogadores do Benfica, que decidiram pegar nas incidências da partida, onde Lima tentou, numa iniciativa individual, romper a muralha minhota, mas Eduardo chegou primeiro. Com maior posse de bola o Benfica ia tentando à esquerda, à direita ou ao meio abrir brechas numa defesa muito fechada e que pouco ou nada deixava jogar entre linhas.

Perto do intervalo, Gaitán e Siqueira ainda tiveram duas oportunidade para inaugurar o marcador mas o resultado manteve-se nulo.

Ao intervalo, o nulo acabava por se justificar, pois apesar de ter havido mais Benfica, a verdade é que teve bastantes dificuldades para ultrapassar uma defesa que se apresentou cerrada na Luz.

Na segunda parte ao minuto 65, Ivan Cavaleiro entrou em campo, impôs a sua velocidade, os "arsenalistas" sentiram maiores dificuldades. Começava finalmente a perceber-se que o Benfica ia chegar ao golo.

A certeza chegou pelo pé esquerdo de Matic aos 72 minutos. O sérvio recuperou a bola ainda no meio-campo bracarense, cavalgou para a área e à entrada desta disparou cruzado e bateu Eduardo. Estava consumada a vitória, até final, o Benfica aguentou a vantagem de um tento.

O Sport Lisboa e Benfica alinhou com o seguinte onze: Artur Moraes; Sílvio, Luisão, Garay, Siqueira (André Almeida, 78'); Matic, Enzo Perez, Djuricic (Rodrigo, 59'), Gaitán, Markovic (Ivan Cavaleiro, 65') e Lima. 

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

Aí está o arranque da I Liga para a equipa de Futebol do Sport Lisboa e Benfica. 

O sorteio ditou a recepção ao SC Braga, equipa que só conseguiu vencer na Luz, por uma vez, para o Campeonato Nacional.

Estatísticas à parte, o grupo de trabalho quer entrar com o pé direito na competição, tal como expressou o treinador Jorge Jesus na antevisão à 1.ª jornada. Para isso, o técnico e os jogadores contam com o apoio em massa dos benfiquistas.

O SC Braga foi o terceiro classificado na temporada transacta e vai ser, certamente, um “osso duro de roer”, apesar dos números dizerem que tem dificuldades em levar pontos da Luz. Recorde-se que, na temporada anterior, o Benfica triunfou por 2-1 (golo de Witsel e Bruno César).

 


Estão reunidos, assim, todos os ingredientes para um bom espectáculo no arranque do Campeonato e ao qual não vai faltar apoio na Catedral!

Lista de convocados
Guarda-redes: Artur Moraes e Paulo Lopes;
Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Garay, Melgarejo, Luisinho e Miguel Vítor;
Médios: Javi García, Witsel, Bruno César, Nolito, Carlos Martins, Aimar, Salvio, Gaitán e Enzo Perez;
Avançados: Cardozo e Rodrigo.

 

Carrega Benfica!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)


um passado de glória um futuro de vitória benfica




twiiter

# Classificação 2017/18




# Universo Benfiquista











titulos GLORIAS ETERNAS

eusébio
Mario Coluna








Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


CONTACTO emailsilva.joaodiogo@hotmail.com